Vasco x Fluminense deste domingo pode entrar para a história do confronto, e não é pelo coronavírus

Bruno Marinho e Rafael Oliveira
O Flu, de Wellington Silva, e o Vasco, de Cano, se enfrentam neste domingo, no Maracanã

A falta de torcida em decorrência dos portões fechados, determinação do Governo do Estado para evitar o avanço do novo coronavírus no Rio, não será o único ingrediente do Vasco x Fluminense, às 18h, no Maracanã. Uma marca histórica estará em jogo. O confronto registra atualmente a maior série invicta dos cruz-maltinos sobre os tricolores. São 10 partidas, escrita que pode servir de combustível para os dois lados.

O tricolores não sabem o que é vencer o rival desde abril de 2017, pela semifinal do Estadual. Depois disso, foram sete vitórias vascaínas e três empates. É a terceira vez que os cruz-maltinos impõem uma sequência de dez jogos sobre o clube das Laranjeiras. As outras duas foram entre 1991 e 1993 e entre 2012 e 2015. Se o Fluminense não levar a melhor neste domingo, a série atual se isolará como a sua maior sem triunfos.

A atual freguesia é reflexo do desequilíbrio no confronto entre os dois clubes nas últimas três décadas. Se até os anos 1980 havia um equilíbrio no número de vitórias para cada lado, a partir da década de 1990 os vascaínos passaram a levar a melhor nos clássicos com mais frequência.

O salto é gritante. Até 1989, foram 96 vitórias tricolores, 62 empates e 93 triunfos cruz-maltinos. De 1990 para cá, o time de São Januário venceu o clássico 55 vezes contra 22 do Fluminense (e mais 43 igualdades). Os números são do site Fluzao.info.

Mesmo na chamada Era Unimed — quando o Fluminense colecionou contratações de peso, conquistou dois brasileiros e foi vice-campeão da Libertadores e da Sul-americana, este desequilíbrio se manteve. Entre 1999 e 2014, foram 12 vitórias tricolores, 26 empates e 25 triunfos do Vasco.

Se há um momento propício para o Fluminense voltar a vencer é agora. A equipe de Odair Hellmann faz um começo de temporada melhor do que o rival e chega ao clássico com a condição de favorita. De olho na Copa do Brasil, pela qual o time joga na quinta, contra o Figueirense, o técnico pode poupar Nenê, seu principal jogador em 2020. Mas já blindado de crises. Na última sexta, o presidente Mário Bittencourt avisou que não o demitirá mesmo em caso de eliminação no torneio nacional.

Abel Braga, por sua vez, não desfruta da mesma sorte. O treinador chega ao clássico pressionado pelos maus resultados neste começo do ano, como a derrota para o Goiás, na última quinta, também pela Copa do Brasil. Em caso de novo tropeço, pode não resistir no cargo.

Números do clássico:

Até os anos 1960

65 vitórias do Vasco
36 empates
62 vitórias do Fluminense

Até os anos 1980

83 vitórias do Fluminense
46 empates
80 vitórias do Vasco

Dos anos 1990 até 2019

55 vitórias do Vasco
43 empates
22 vitórias do Fluminense