Vaticano faz funeral para polêmico cardeal australiano George Pell

Dezenas de cardeais, bispos e arcebispos participaram neste sábado (14), do funeral do polêmico cardeal australiano George Pell, preso por abuso sexual de menores, informou a AFP.

A cerimônia na Basílica de São Pedro, que durou cerca de uma hora e meia, foi conduzida pelo cardeal italiano Giovanni Battista Re, decano do Colégio dos Cardeais.

O papa Francisco chegou em uma cadeira de rodas para os minutos finais e a oração.

Pell faleceu em Roma aos 81 anos na última terça-feira (10) por complicações no coração após uma cirurgia no quadril.

O cardeal ocupou um dos cargos mais elevados do Vaticano e foi o primeiro nesta posição a ser preso por abuso sexual de menores. Ele foi condenado a seis anos de prisão em 2019 por abusar de dois coroinhas quando era arcebispo de Melbourne e foi fichado como infrator sexual.

Após passar 12 meses na prisão, suas condenações foram anuladas mediante uma apelação do Supremo Tribunal da Austrália.

"Foi uma experiência de grande sofrimento enfrentada com confiança na justiça de Deus, dando exemplo de como aceitar penas injustas com dignidade e paz interior", disse o cardeal Re em sua homília, classificando Pell como um "homem de Deus e da Igreja".

O primeiro-ministro de Victoria, onde nasceu o religioso, se recusou a realizar uma missa pública em memória do cardeal, financiada pelos contribuintes, alegando que a cerimônia teria sido "profundamente repugnante" para as vítimas de abuso sexual.

"Não haverá memorial nem funeral no Estado pois acredito que seja algo muito repugnante para todos os sobreviventes de abuso sexual infantil pela Igreja Católica", afirmou Daniel Andrews à imprensa.

ljm/bat/pc/jvb/yr/aa