Comunidade LGBTI da A.Latina assume compromisso de maior liderança política

Santo Domingo, 1 abr (EFE).- O 3º Encontro de Lideranças Políticos LGBTI da América Latina e do Caribe terminou neste sábado em Santo Domingo com o compromisso de melhorar as oportunidades dos líderes e cargos eleitos do coletivo, para assim abrir um melhor caminho na busca de atingir a igualdade.

A reunião de dois dias incluiu a realização de oficinas, painéis, conferências e reuniões estratégicas com figuras de partidos políticos da República Dominicana, segundo informaram os organizadores em comunicado.

"Temos que nos posicionar para não perder o terreno conquistado", enfatizou Wilson Castañeda, diretor da Corporação Caribe Afirmativo da Colômbia, que advertiu: "Não vamos permitir retrocessos, temos que participar dos processos democráticos fazendo uma melhor política para o bem-estar e o desenvolvimento de nossos povos".

De seu lado, a diretora-executiva da organização Diversidade Dominicana, Rosanna Marzán, enfatizou que para o ano de 2020 haverá candidaturas políticas abertamente LGTBI neste país caribenho, da mesma forma que as figuras eleitas de outras nações presentes no encontro.

O encontro da comunidade de lésbicas, gays, transgênero, bissexuais, e intersexuais destacou o "vertiginoso" crescimento de cargos eleitos e de governo na América Latina e no Caribe, com o que se ressalta a importância que tem este espaço na hora de construir sociedades mais inclusivas e participativas.

Entre os participantes da reunião estavam a vice-ministra de Governo e Polícia da Costa Rica, Carmen Muñoz; o deputado boliviano Manuel Canelas; sua colega da Venezuela Tamara Adrián, e o congressista peruano Alberto de Belaúnde.

A convenção LGTBI permitiu nos participantes novas ideias sobre ativismo político e de como trabalhar para avançar rumo à igualdade, destacou o comunicado. EFE