Veja 41 sites nos quais você deve evitar comprar na Black Friday, segundo Procon-SP

A uma semana da Black Friday, os consumidores devem ficar atentos às dores de cabeças comuns nessa época de promoções. Para ajudar nas compras, o Procon-SP divulgou a lista com 41 sites de vendas que devem ser evitados no próximo dia 25. Estes endereços on-line foram notificados pelo órgão, mas não responderam ou não foram encontrados. Veja a lista aqui

Ainda de acordo com a autarquia, alguns sites notificados estão fora do ar, mas podem voltar a qualquer momento, enquanto outros seguem operando normalmente. No ano passado, mais de 700 reclamações foram registradas no Procon-SP. Os principais motivos foram: atraso ou não entrega do produto, pedido cancelado, mudança de preço, maquiagem de desconto e indisponibilidade do produto ou serviço.

As recomendações do Procon-RJ, divulgadas em uma cartilha, é que os consumidores verifiquem a segurança do site, conferindo se o endereço usa o protocolo https e se é exibido um ícone no formato de um cadeado fechado. Clicando em cima da fechadura, deve aparecer o certificado de garantia do site.

É importante pesquisar na internet relatos de outros consumidores sobre a empresa e guardar todos os e-mails de confirmação do pedido, pagamento e qualquer outra comunicação recebida da loja.

Caso o consumidor utilize o cartão de crédito para fazer o pagamento da compra, deve optar pelo cartão virtual temporário, que vale apenas para uma compra única pela internet. O Procon-RJ explicou que muitas lojas podem embutir o valor da garantia nos produtos. Caso algum fornecedor realize essa prática, o consumidor deve denunciá-lo à autarquia. No caso de peças de mostruário vendidas por um preço abaixo do praticado normalmente, as lojas devem informar claramente o motivo da redução na nota de compra.

A partir da reclamação do consumidor, o fornecedor tem 30 dias para resolver o problema. Ao fim desse prazo, ele pode exigir a troca por produto da mesma espécie, em perfeita condição de uso; a restituição imediata da quantia paga; ou o abatimento do preço.

Em relação à entrega de mercadorias, a loja é obrigada a informar a previsão de cumprimento do contrato. Quando ela descumpre o prazo que ela mesma determinou, os consumidores devem acionar a empresa por meio do Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC).

Se liga nas dicas

O que verificar no site - Para se certificar que está fazendo uma compra segura, nunca utilize computadores públicos. Verifique a segurança da página, clicando em um cadeado que aparece no canto da barra de endereço ou no rodapé da tela do computador. O endereço da loja virtual deve começar com https://.

Cartão é melhor opção - Ao efetuar as compras, prefira pagar com cartão de crédito. Muita atenção com sites que só aceitam receber por boleto ou transferência bancária, pois, se houver algum problema com a compra, será mais difícil conseguir ressarcimento junto ao banco. Mesmo assim, nunca informe dados do cartão de crédito a terceiros.

CNPJ ou CPF - Todo site deve exibir o CNPJ da empresa ou o CPF da pessoa responsável, além de informar o endereço físico ou eletrônico em que a loja pode ser encontrada. A página também é obrigada a disponibilizar um canal para atendimento ao consumidor, o SAC. Prefira lojas conhecidas ou indicadas por amigos e familiares.