Veja como conter aumento na conta de luz neste verão

A temperatura no Rio bateu recorde neste domingo, com registro de 40,3º C e sensação térmica de 54º C no Sistema Alerta Rio. E os dias de verão seguirão, trazendo desafios para os cariocas na fatura de energia. Segundo o professor Ronald Paschoal, coordenador do curso de Economia da Estácio, tradicionalmente, a estação encarece em até 8,6% a conta de luz, que já tem grande peso no orçamento das famílias.

— Em média, de acordo com dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), apenas em decorrência da estação do verão as contas de luz ficam até 8,6% mais caras. Ainda, segundo estudo feito pela Associação dos Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres (Abrace), em 2022, o valor gasto com conta de luz para famílias de baixa renda no país representou quase 10% do orçamento familiar, mas a faixa de renda que sofreu mais impacto foi a que tem renda mensal familiar entre R$1.908 a R$5.724, com impacto de cerca de 18%.

Leia também:

Segundo Matheus Peçanha, do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (IBRE-FGV), isso acontece pois a fatura de energia é uma conta inelástica.

— Seja lá o que acontecer, as pessoas podem racionar na medida do possível, mas têm que continuar consumindo energia elétrica.

A boa notícia para os consumidores é que a bandeira tarifará em vigor na conta de energia é a verde, ou seja, sem cobrança adicional. E assim deve permanecer durante todo o verão.

— Do último verão pra cá, a conta ficou mais barata. Em 2022, em janeiro, fevereiro e março, a gente estava sob regência da bandeira tarifária de escassez hídrica, por causa do período conturbado dos reservatórios. Isso significava uma cobrança de R$ 15 a mais por cada 100 kw/h. Mas desde abril os reservatórios entraram num patamar aceitável e entramos na bandeira verde, que não acrescenta nada. Isso se manteve ao longo de 2022 e para o primeiro semestre desteano há uma perspectiva hidrológica boa — explica Peçanha, acrescentando que apesar do reajuste da tarifa de energia no último mês de março, a redução do ICMS em julho também compensou o peso.

Veja como economizar

Um dos grandes vilões da conta de luz no verão é o ar condicionado. E o peso pode ser ainda maior para quem ainda trabalha em home office.

— Tem que tentar não deixar o ar condicionado ligado o dia todo. Só nos horários estritamente necessários. E manter sempre o aparelho com manutenção em dia também ajuda. Pois com avaria ele tende a consumir mais energia. E se ainda não tiver, trocar o aparelho por um com chancela de que consome energia de modo eficiente.

Mais dicas de Carlos Castro, planejador Ffnanceiro CFP® pela Planejar

Chuveiro: se possível, realizar banhos mais curtos;

Lâmpadas: sempre desligar as lâmpadas se não for ficar no cômodo; evitar o uso se já houver iluminação ambiente por luz solar;

Geladeira: deixar o mínimo de tempo com a porta aberta e evitar secar roupas atrás do eletrodoméstico, porque isso exige mais do motor;

Celular: quando o aparelho estiver com a bateria cheia, retirar o carregador da tomada, pois isso consome energia elétrica;

Outros eletrodomésticos: opte sempre por comprar aqueles que têm o selo Procel e evite deixá-los na opção “stand by”.

Lâmpadas: troque as incandescentes, se ainda tiver, por LED. São mais caras, porém duram mais tempo e consomem menos energia. Às vezes, trocar uma lâmpada em um primeiro momento sai até mais caro, mas quando você põe na ponta do lápis, a economia que vai ter com a energia elétrica justificará o desembolso inicial.

Simule e decida: a população conhece pouco sobre a Tarifa Branca de Energência, na qual o consumidor é cobrado de acordo com o dia e horário de consumo. Isto é, você pagará menos se utilizar energia fora dos horários com maior demanda por energia elétrica. Se valer a pena para sua rotina, peça a troca de tarifa.