Veja como foram os discursos de candidatos derrotados em outras eleições presidenciais no Brasil

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro (PL) fez nesta terça-feira (1º) seu primeiro discurso público após a derrota para Luiz Inácio Lula da Silva (PT), no último domingo (30).

A fala do atual mandatário ocorreu somente após 45 horas da confirmação oficial do resultado do segundo turno.

Ele criticou de forma indireta os bloqueios nas estradas realizado pelos seus apoiadores e disse, como forma de admitir a derrota, que irá seguir a Constituição.

"Os atuais movimentos populares são fruto de indignação e sentimento de injustiça de como se deu o processo eleitoral".

Veja como foi a fala de candidatos derrotados em outras eleições:

FERNANDO HADDAD - 2018

Em 2018, no primeiro pronunciamento após o anúncio oficial de sua derrota, Fernando Haddad (PT) pediu "coragem" a seus apoiadores e disse que coloca "sua vida à disposição desse país", na liderança de uma frente de oposição ao governo Jair Bolsonaro, então no PSL.

"Eu coloco a minha vida à disposição deste país", disse Haddad em um hotel na capital paulista. "Não tenham medo, nós estaremos aqui, estaremos de mãos dadas com vocês, nós abraçaremos a causa de vocês. Contem conosco. Coragem. A vida é feita de coragem", concluiu o petista.

Haddad não citou nem cumprimentou Bolsonaro pela vitória, e disse que também não ligaria para o adversário pelos ataques que sofreu ao longo da campanha. O petista afirmou ainda que "uma parte expressiva do povo brasileiro precisa ser respeitada".

"Não vamos deixar esse país para trás, vamos colocá-lo acima de tudo. Vamos defender o nosso ponto de vista respeitando a democracia e as instituições. Mas sem deixar de colocar o nosso ponto de vista, sobretudo o que está em jogo no Brasil a partir de agora."

AÉCIO NEVES - 2014

Em 2014, candidato derrotado na disputa presidencial, o tucano Aécio Neves, ligou para a presidente reeleita Dilma Rousseff (PT).

Em um pronunciamento de dois minutos em um hotel no centro de Belo Horizonte, o tucano agradeceu aos mais de 50 milhões de eleitores que votaram nele.

"Serei eternamente grato a cada um, a cada uma de vocês, que me permitiram voltar a sonhar e acreditar na construção de um novo projeto", declarou.

"Repito para encerrar, mais uma vez, [o apóstolo] São Paulo, que é o que retrata para mim de forma mais clara o sentimento que tenho hoje, na minha alma e no meu coração: 'Combati o bom combate, cumpri a minha missão e guardei a fé'. Muito obrigado a todos os brasileiros."

JOSÉ SERRA - 2010

Em 2010, o candidato derrotado à Presidência, José Serra, fez um pronunciamento às 22h35 no qual admitiu a derrota e desejou à presidente eleita, Dilma Rousseff (PT), que 'faça bem para o país'.

"No dia de hoje os eleitores falaram, e nós recebemos com respeito e humildade a voz do povo nas urnas. Quero aqui cumprimentar a candidata eleita Dilma Rousseff e desejar que faça bem para o nosso país".

Eu disputei com muito orgulho a presidência da República. Quis o povo que não fosse agora", disse o tucano.

"E para os que nos imaginam derrotados, quero dizer: 'nós apenas estamos começando uma luta de verdade'. Estamos no começo dessa luta. Nós vamos dar a nossa contribuição ao país em defesa da pátria, da liberdade, da democracia, do direito que todos têm de falar de serem ouvidos, da justiça social."

GERALDO ALCKMIN - 2006

Em 2006, em discurso de agradecimentos e já ciente da derrota na eleição presidencial, o candidato tucano, Geraldo Alckmin, afirmou que cumprimentou o adversário, o presidente reeleito Luiz Inácio Lula da Silva, pela vitória.

"Estou feliz, com a consciência tranquila. Fiz o máximo que pude, me esforcei, percorri o Brasil levando a mensagem da integração nacional", disse ele em discurso a representantes de sua coligação em São Paulo.

Ao lado do então governador eleito de São Paulo, José Serra, Alckmin agradeceu aos partidos e pessoas que o apoiaram e a governadores de oposição eleitos, além de seu padrinho político, o ex-governador Mario Covas (1994-2001).

Alckmin também disse que telefonou para Lula para cumprimentá-lo pela vitória e para lhe desejar "um bom mandato". "A vida, como a democracia, é feita de conquistas, dificuldades, alegrias e momentos difíceis", afirmou.

JOSÉ SERRA - 2002

Em 2002, O candidato derrotado à Presidência, José Serra (PSDB), telefonou às 21h10, ao presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva e o cumprimentou pela vitória.

Segundo a assessoria do tucano, Serra disse a Lula que estava telefonando "para reconhecer a sua vitória e desejar boa sorte na Presidência para o bem do país". O petista teria dito que Serra foi um adversário muito leal.

LULA - 1998

Em 1998, Lula reconheceu a derrota na eleição presidencial, mas rejeitou qualquer diálogo com Fernando Henrique Cardoso (PSDB), vitorioso daquele pleito.

"Seremos implacáveis. É a continuidade do que vínhamos criticando na campanha", disse. "Teremos é submissão à agiotagem internacional".

Em outro trecho do discurso, Lula disse confiar no processo eleitoral, mas questionou a legitimidade de FHC.

"Não posso dizer que o processo foi ilegítimo porque a legislação foi aprovada com a participação do meu partido. Mas o mandato do presidente carece de certa legitimidade pela maneira que se deu o processo".

LULA - 1994

Em 1994, em seu primeiro pronunciamento após a derrota, Lula disse à Folha de S.Paulo que "o PT sai desta eleição como o partido mais importante da história política deste país. O partido de esquerda mais importante da América Latina."

O petista disse ainda que "não vou fazer oposição a Fernando Henrique com o meu programa de partido", admitindo a vitória do adversário.

LULA - 1989

Em 1989, após reconhecer a derrota para Fernando Collor (PRN), Lula disse que embora não tenha conseguido vencer a disputa, "a classe trabalhadora atingiu o mais alto patamar de participação política".

O petista disse ainda que "quando diz que o Brasil perdeu a oportunidade de elaborar uma política econômica, fazer uma reforma agrária".