Veja como será a logística para vacinação contra a Covid no estado de SP

FÁBIO MUNHOZ
·4 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O plano do governo de São Paulo, gestão João Doria (PSDB), para a vacinação de 9 milhões de pessoas contra a Covid-19 no estado, na primeira fase da imunização, prevê o envio de 2 milhões de doses semanais da Coronavac para municípios. Os detalhes da logística foram apresentados nesta segunda-feira (11). Para que o imunizante chegue às 645 cidades do estado, caminhões farão cerca de 70 rotas semanais. Os veículos terão monitoramento de temperatura e rastreamento. Ao sair do Instituto Butantan, as doses partirão do Centro de Distribuição e Logística do Estado. O armazenamento será feito em 5.200 câmaras de refrigeração, para as quais foram alugados 25 geradores de energia extras. De lá, serão enviadas semanalmente para 200 municípios com mais de 30 mil habitantes. No caso das 445 cidades com população menor, as vacinas vão para pontos de armazenamento regionais, onde as prefeituras farão a retirada. O governo diz que 25 mil policiais militares serão escalados para fazer a escolta dos caminhões e a segurança nos centros de distribuição e dos pontos que serão usados para vacinação. O início previsto da campanha é no dia 25. Idosos e profissionais de saúde estão entre os primeiros vacinados, segundo o cronograma previsto. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, 10,8 milhões de doses da Coronavac já foram adquiridas, além de 75 milhões de seringas e agulhas. O estado tem 5.200 pontos de vacinação, número que, segundo o governo, chegará perto de 10 mil, já que também serão usados locais como escolas, quartéis, estações de trem e terminais de ônibus, farmácias e sistemas drive-thru. Na capital, a gestão Bruno Bruno Covas (PSDB) afirma que serão 3 mil postos e a cidade receberá 600 mil doses diárias. A Secretaria Municipal da Saúde está em tratativas com clubes como Corinthians, Palmeiras e São Paulo para que seus estádios sejam usados na campanha. ESQUEMA DE VACINAÇÃO EM SP O governo de São Paulo criou um plano estratégico para viabilizar a campanha de vacinação contra a Covid-19 ano estado, cujo início está previsto para o dia 25. >> Como será a logística Do Instituto Butantan, as doses vão para o Centro de Logística do estado. De lá, vão diretamente para 200 municípios com mais de 30 mil habitantes semanalmente; outras 445 prefeituras farão retiradas semanais em 25 centros de distribuição regionais. >> Distribuição 2 milhões de doses partirão semanalmente do Centro de Distribuição Logística do Estado para os municípios e centros de armazenamento regionais 70 rotas serão feitas por semana pelos caminhões refrigerados. Estrutura dos caminhões de transporte: Monitoramento de temperatura Rastreamento Auditoria sobre volume da carga movimentada >> Armazenamento 5.200 câmaras de refrigeração serão usadas para guardar as vacinas 25 geradores extras serão alugados para dar conta da demanda >> Instrumentos 75 milhões de seringas e agulhas já estão disponíveis, sendo que 20 milhões já foram distribuídas para a rede >> Em números 18 milhões de doses para 9 milhões de pessoas vacinadas na primeira fase 10,8 milhões de doses da Coronavac já estão no Brasil 5.200: é o número de postos de vacinação existentes no estado 10 mil: será o total de locais para aplicação no estado. Serão utilizados pontos como escolas, quartéis da PM, shoppings, estações de trem e terminais de ônibus, farmácias e sistema drive-thru, além de unidades de saúde 25 mil policiais militares farão a escolta das vacinas e a segurança dos centros de armazenamento e locais de aplicação 52 mil profissionais de saúde estão sendo treinados para Preparar e organizar salas de vacinação Fazer a aplicação e cuidar do registro em sistema Operar a plataforma de cadastro de vacinação Preencher fichas para notificação de farmacovigilância >> Cronograma previsto Público-alvo Profissionais da saúde, pessoas com 60 anos ou mais, indígenas e quilombolas Indígenas e quilombolas somam 9 milhões de pessoas, sendo 7,5 milhões de idosos e 1,5 milhão de indígenas e quilombolas Previsão de vacinação: de 25 de janeiro a 28 de março (9 semanas) >> Calendário Dose 1: 25/1: Profissionais da saúde, indígenas e quilombolas 8/2: Pessoas com 75 anos ou mais 15/2: Pessoas com 70 a 74 anos 22/2: Pessoas com 65 a 69 anos 1º/3: Pessoas com 60 a 64 anos Dose 2: 15/2: Profissionais da saúde, indígenas e quilombolas 1º/3: Pessoas com 75 anos ou mais 8/3: Pessoas com 70 a 74 anos 15/3: Pessoas com 65 a 69 anos 22/3: Pessoas com 60 a 64 anos Horários - De segunda a sexta-feira, das 7h às 22h - Sábados, domingos e feriados, das 7h às 17h