Veja conversa em que Luis Miranda dá 'contragolpe' em homem se passando por Rodrigo Maia e ganha R$ 50

·2 minuto de leitura

BRASÍLIA — O deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) conseguiu emplacar um "contragolpe" via WhatsApp em um homem se passando pelo ex-presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Ao sofrer uma tentativa de extorsão de R$ 20 mil, o deputado acabou lucrando R$ 50. O caso foi antecipado pela "Folha de S.Paullo".

Nos prints da conversa na última segunda-feira, obtidos pelo GLOBO, o golpista se apresenta com um "boa noite deputado". "Boa noite. Presidente?", questiona Miranda. "Você usa Banco do Brasil ou PIX?", questiona então o homem que tenta dar o golpe.

"Presidente, você sabe que eu tenho o maior prazer em te ajudar. O que precisa?", pergunta o deputado. Em seguida, o golpista passa as "instruções" de como queria a transferência.

A partir do pedido, Luis Miranda começa a tentar se desvencilhar do falso Rodrigo Maia. "O problema é que eu só tenho dinheiro na aplicação ou no especial. A conta sempre fica com zero", avisou Miranda.

No contra-golpe, avisou o homem que se passava por Maia que seu aplicativo estava bloqueado para transferência e só poderia liberar se pagasse R$ 49,90 de taxa de serviço. Miranda avisa que trataria na segunda-feira pessoalmente. O golpista pede urgência no que o deputado dá o troco: "Então me manda esses 50,00 e eu pago on line agora e liberará as funções do banco". E o golpista se rende e faz o depósito por Pix.

Luis Miranda já denunciou o ocorrido à Polícia Legislativa da Câmara. Na última sexta-feira, Maia contou em sua conta do Twitter que sua conta tinha sido invadida por hackers.

— Vale ressaltar que os R$50,00 estão a disposição do Depol para informar para onde devem ser enviados. Justiça, polícia, doação e etc. — disse Luis Miranda ao GLOBO.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos