Veja as distâncias atualizadas entre Lula e Bolsonaro nas principais pesquisas eleitorais

As pesquisas de intenções de voto divulgadas na última semana da campanha presidencial indicam que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) chega às vésperas da votação em vantagem em relação ao candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL). As distâncias entre os dois adversários aferidas por Ipec, Datafolha, Quaest e Ipespe variam de cinco a sete pontos percentuais.

O cenário se manteve estável, assim como foi quase toda a campanha eleitoral marcada por uma grande polarização que levou a maioria dos eleitores a escolher um lado muito cedo. As poucas variações registradas pelos institutos de pesquisa foram, em grande parte, favoráveis a Lula. Esse dado positivo ao ex-presidente reverteu parcialmente as variações da semana passada, que beneficiaram Bolsonaro.

A pesquisa divulgada pelo Ipec na segunda-feira indicou 50% das intenções de voto para Lula e 43% para Bolsonaro. É exatamente o mesmo placar que havia sido registrado no levantamento anterior. O estudo mostrou oscilação positiva do candidato do PT entre os eleitores evangélicos, segmento no qual o atual presidente tem a preferência de ampla maioria. Bolsonaro, por outro lado, teve variação para cima no voto do eleitorado do Sudeste, a região mais populosa do país.

Pelo levantamento divulgado na terça-feira pelo Ipespe, que faz pesquisas a partir de ligações telefônicas, a distância captada entre os dois presidenciáveis foi de seis pontos percentuais (50% a 44%, com Lula à frente). Como a margem de erro da pesquisa é de três pontos para mais ou menos, trata-se assim de um empate técnico pouco provável, no limite da margem para cada um dos candidatos.

A pesquisa nacional da série Genial/Quaest mostrou o candidato do PT oscilando um ponto percentual para cima em uma semana, enquanto Bolsonaro permaneceu estagnado. Pelos resultados obtidos pelo instituto, o ex-presidente tem 48% das intenções de votos totais, contra 42% do atual chefe do Executivo.

No Datafolha divulgado nesta quinta-feira, Bolsonaro variou um ponto para baixo e agora aparece cinco pontos atrás de Lula (49% a 44%). O candidato do PT avançou entre os eleitores mais pobres e aqueles que recebem o Auxílio Brasil do governo federal.

A semana teve notícias negativas para o projeto de reeleição do atual mandatário. No domingo, seu aliado Roberto Jefferson (PTB) recebeu policiais federais a tiros e granadas durante o cumprimento de mandado de prisão em Levy Gasparian, no Rio. O presidente havia perdido, no dia anterior, espaços no horário eleitoral na televisão para dar direito de resposta a Lula.

Bolsonaro também enfrentou críticas por um estudo do Ministério da Economia para desvincular o reajuste do salário mínimo da inflação, e sofreu derrota no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ao ter rejeitada denúncia apresentada por supostas irregularidades na reprodução de propagandas por emissoras de rádio.

Lula e Bolsonaro terão nesta sexta-feira a última grande oportunidade de tentar conquistar votos para a eleição de domingo. Os dois candidatos ficam frente a frente em debate organizado a partir das 21h30m pela TV Globo.

No sábado, dia anterior à votação, Ipec, Datafolha e Quaest divulgarão mais uma pesquisa de intenções de voto cada. Os levantamentos da véspera não têm como objetivo prever o que acontecerá nas cabines de votação, mas têm um histórico de maior correspondência com os resultados registrados nas urnas.

As pesquisas de Datafolha, Quaest e Ipespe indicaram o mesmo placar de 53% a 47% favorável a Lula no cálculo dos votos válidos, que desconsidera os brancos e nulos, bem como os indecisos. Pelo levantamento do Ipec, Lula tem 54% dos votos válidos, contra 46% de Bolsonaro.

Todos os percentuais acima se referem aos resultados de pesquisas estimuladas, nas quais os entrevistados recebem um disco de papel com os nomes dos candidatos. Já na pesquisa espontânea, quando precisam responder de cabeça, os entrevistados que se lembram de Lula representam 48% do eleitorado pelo Ipec, e 47% por Ipespe e Datafolha. Os que mencionam Bolsonaro são 42% no Ipec e no Datafolha, e 43% no Ipespe.

A Quaest não divulgou os percentuais da pesquisa espontânea. O instituto, por outro lado, divulgou resultados calculados por um método que considera só a parcela dos eleitores considerados mais dispostos a efetivamente irem votar. Por esse recorte, Lula alcança 52% dos votos válidos, enquanto Bolsonaro soma 48%.