Veja as distâncias atualizadas entre Lula e Bolsonaro nas últimas pesquisas eleitorais do segundo turno

A temporada de pesquisas eleitorais de 2022 terminou neste sábado, véspera do segundo turno da corrida presidencial entre o candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Ipec, Datafolha e Quaest divulgaram seus últimos levantamentos de intenções de voto. Pelo cálculo dos votos válidos, as distâncias entre os dois adversários variam de quatro a oito pontos percentuais, com Lula numericamente à frente nas três pesquisas.

O quadro geral registrado nas investigações de opinião pública foi de estabilidade nos dias finais de campanhas, repetindo a tônica de todo o período eleitoral. Alguns institutos captaram oscilações, dentro das margens de erro, favoráveis ao atual presidente.

Enquanto o Ipec indicou que Lula lidera a disputa com oito pontos de vantagem, Datafolha e Quaest mostraram haver cenário de empate técnico, no limite das margens de erro para os dois candidatos. A diferença entre os resultados desses dois últimos institutos é que, ao se analisar também os dados dos votos totais, o empate surge como um cenário pouco provável pelo levantamento do Datafolha, sendo mais possível de se concretizar no da Quaest.

A pesquisa Ipec divulgada pela TV Globo indicou que Lula tem 54% das intenções de voto pelo cálculo dos votos válidos, que desconsidera brancos e nulos. Bolsonaro soma 46%. É exatamente o mesmo placar que havia sido registrado no levantamento anterior, divulgado na segunda-feira.

Já na pesquisa do Datafolha, o ex-presidente tem 52% dos votos válidos, frente a 48% do candidato à reeleição. Lula variou um ponto para baixo em relação ao levantamento anterior, de quinta-feira, enquanto Bolsonaro oscilou na mesma medida, mas para cima.

O placar de 52% a 48% é o mesmo registrado pela Quaest. O instituto registrou recuo de dois pontos percentuais de Lula no cálculo dos votos totais (que considera todas as respostas obtidas na pesquisa). Bolsonaro variou um ponto para cima em relação à pesquisa de quarta-feira. Com essas oscilações, os candidatos chegam à véspera da votação tecnicamente empatados no placar da pesquisa estimulada: Lula tem 46%, contra 43% de Bolsonaro.

Parte dos eleitores entrevistados pelos institutos foi abordada neste sábado, dia seguinte ao último debate entre os dois adversários na corrida presidencial. No evento, realizado pela TV Globo, o ex-presidente focou na pauta econômica para tentar atrair o voto dos eleitores que ainda estão indecisos, enquanto o atual chefe do Executivo partiu para o ataque contra o adversário com temas que passaram por corrupção e pela defesa do aborto. Veja a rejeição, bloco a bloco, na pesquisa qualitativa exclusiva feita para o Pulso.

Rejeição e certeza do voto

As sondagens de opinião pública também mensuraram a rejeição aos presidenciáveis. De acordo com o Datafolha, 50% dos brasileiros aptos a votar rechaçam a ideia de apoiar Bolsonaro em seu projeto de reeleição. Já 46% dizem não votar de jeito nenhum em Lula. Pela Quaest, a taxa de rejeição ao atual presidente é de 48%, e a do candidato do PT é de 44%. Os números do Ipec não foram divulgados.

Faltando algumas horas para a abertura das seções de votação, 6% dos eleitores ainda admitem a possibilidade de mudar de ideia até a hora de irem votar, segundo as pesquisas do Ipec e do Datafolha. Segundo a Quaest, 7% dizem existir alguma chance de reconsiderarem suas escolhas.

As pesquisas de intenções de voto divulgadas na véspera das eleições não têm o objetivo de fazer uma previsão do que acontecerá no dia seguinte nas urnas eletrônicas. Somente pesquisas boca de urna, que não serão feitas este ano, buscam estimar o resultado oficial da eleição. Apesar disso, os levantamentos feitos para o segundo turno têm um histórico de alta convergência para os resultados apurados pelo TSE.