Veja o que é #FATO ou #FAKE na entrevista de Simone Tebet à CBN

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A candidata do MDB à Presidência, Simone Tebet, foi entrevistada pela CBN nesta quarta-feira (22).

A entrevista foi feita pelos jornalistas Milton Jung e Cássia Godoy.

A equipe do Fato ou Fake checou as principais declarações de Simone Tebet. Leia:

“Nós estamos falando de um país que é o celeiro do mundo e alimenta 800 milhões de pessoas no planeta.”

A declaração é #FATO. Veja o porquê: De acordo com um levantamento feito pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o agronegócio no Brasil foi responsável por fornecer alimentos a 772,6 milhões de pessoas no país e no mundo em 2020. De acordo com a publicação, 212,2 milhões destas pessoas são brasileiras, e as outras 560,3 milhões são de outros países.

Ainda segundo o estudo, pode-se afirmar que cerca de 800 milhões de pessoas são alimentadas pelo Brasil, já que “a variação da população total alimentada pelo Brasil em 2019, de 809,472 milhões em relação a 2020, deve-se à variação de preços dos produtos nos dois anos considerados”. O levantamento ainda apontou que, nos últimos dez anos, a participação do Brasil no mercado mundial de alimentos saltou de US$ 20,6 bilhões para US$ 100 bilhões. Os produtos em destaque foram a carne, soja, milho, algodão e produtos florestais.

“A informação que eu tive é que a fila [do Auxílio Brasil] quase dobrou, era quase um milhão e está em 2 milhões e 700 mil pessoas.”

A declaração é #FATO. Veja o porquê: Um estudo da Confederação Nacional dos Municípios mostrou que mais de 2 milhões e 700 mil famílias que cumprem os requisitos para receber o Auxílio Brasil não tiveram acesso ao benefício em abril deste ano. Segundo esse mesmo estudo, a fila do Auxílio Brasil teve um salto de 113% em relação a março, quando o número de famílias à espera do benefício era de pouco mais de 1 milhão e 300 mil.

“Fruto da falta de coordenação na pandemia, nós tivemos nossas crianças afastadas da escola por dois anos. Isso não aconteceu em nenhum lugar do mundo.”

A declaração é #FAKE. Veja o porquê: As aulas presenciais no Brasil começaram a ser retomadas ao longo de 2021 - um ano após o início da pandemia. A retomada não aconteceu de forma integrada entre os estados e cidades, pois cada ente teve autonomia para tomar a decisão conforme indicadores epidemiológicos locais.

A prefeitura do Rio de Janeiro, por exemplo, começou a autorizar o retorno de crianças da pré-escola e do 1º e 2º ano do ensino fundamental ainda em fevereiro de 2021 – portanto, antes de completar um ano de pandemia.

No segundo semestre do mesmo ano, começou um movimento em vários estados do país para o retorno 100% presencial às escolas estaduais. No Amazonas, os estudantes retornaram em 23 de agosto. Em São Paulo, as aulas passaram a ser obrigatórias em todas as redes em 18 de outubro. Em novembro, Minas Gerais tornou obrigatório a volta às aulas presenciais nas escolas estaduais.

Já no resto do mundo, um levantamento feito pelo UNICEF mostra que 23 países ainda não tinham aberto totalmente as escolas no início de 2022.

Uganda, por exemplo, apenas iniciou a retomada das aulas presenciais em 10 de janeiro deste ano. Cerca de 15 milhões de crianças ugandenses não frequentavam as escolas desde março de 2020, quando as instituições de ensino fecharam as portas devido à pandemia.

“Hoje nós temos, por exemplo, (...) 16 bilhões de reais sequestrados por um orçamento secreto.”

A declaração é #FATO. Veja o porquê: Para 2022, serão distribuídos R$ 16,5 bilhões para deputados e senadores por meio das emendas de relator, conhecidas como "orçamento secreto", pela falta de informações sobre os parlamentares que solicitaram o dinheiro. A transparência dessas emendas é questionada em ações no Supremo Tribunal Federal (STF) e no Tribunal de Contas da União (TCU). As emendas do relator foram criadas em 2019 e, ao contrário das outras emendas, não identificam o deputado, ou a bancada, que indicou a destinação da verba. O dinheiro é repassado na figura do relator do Orçamento, que varia ano a ano.

“Orçamento do Congresso Nacional não é bilionário, é trilionário. Nós temos algo em torno de R$ 4 trilhões e 600, 700, 800 bilhões. Tirando os serviços da dívida, um pouco menos da metade disso, nós estamos falando que temos o orçamento de mais de R$ 2 trilhões, vamos arredondar.”

A declaração é #FATO. Veja o porquê: O orçamento de 2022, sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) em janeiro deste ano, previa despesas na ordem de R$ 4,7 trilhões. Deste total, R$ 1,9 trilhão é referente ao refinanciamento da dívida. Ou seja, restam R$ 2,8 trilhões, valor até superior ao mencionado pela candidata, que se referia que o Brasil tem um orçamento robusto.

“Nós estamos falando de 5 milhões de propriedades rurais, onde a maioria, mais de 3 milhões delas, muito mais do que isso, estão na mão de pequenos. Nós estamos falando da agricultura familiar.”

A declaração é #FATO. Veja o porquê: Segundo o último Censo Agropecuário feito pelo IBGE, em 2017, o Brasil tem aproximadamente 5 milhões de propriedades rurais. Destas, 3,9 milhões são classificadas como de agricultura familiar. Isso corresponde a 77% do total identificado.

*Clara Velasco, Felipe Grandin, Júlia Cople, Louise Queiroga, Cirilo Junior e Patrícia Fiúza.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos