Veja o que é #FATO ou #FAKE nas declarações de Otávio Fakhoury na CPI da Covid

·6 minuto de leitura

O empresário Otávio Fakhoury prestou depoimento nesta quinta-feira (30) na CPI da Covid.

A equipe do Fato ou Fake checou as principais declarações dele. Leia:

A declaração é #FAKE. Veja por quê: Todas as vacinas em uso no Brasil tiveram seus dados de eficácia e segurança avaliados e aprovados pela Anvisa, garantindo o seu uso dentro das indicações aprovadas. A FDA, agência reguladora de medicamentos dos Estados Unidos, também aprovou as vacinas, diferentemente do declarado.

De acordo com a Anvisa, todas as vacinas que vêm sendo aplicadas tiveram condução de estudo de fase 3 de pesquisa clínica e já encerraram esta etapa. Além disso, nenhuma vacina em uso no país foi dispensada de apresentação de dados de fase 3 da pesquisa clínica.

Ou seja, as vacinas em uso no Brasil não são experimentais. A Anvisa esclarece ainda que todos os estudos preveem o monitoramento a longo prazo dos participantes da pesquisa e que formalmente o estudo só termina quando for encerrado o monitoramento de todos os voluntários.

“Outros estudos adicionais podem e são conduzidos para aspectos específicos, como, por exemplo, ampliação de público, mas isso não significa que qualquer vacina autorizada não tenha cumprido a fase 3 de estudo clínico”, informa a agência.

Ana Paula Duarte Souza, farmacêutica, pesquisadora, professora da Escola de Ciências da Saúde e da Vida da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) e autora de materiais que explicam as etapas de produção de vacinas, diz que a afirmação de que as vacinas ainda hoje se encontram em estágio experimental não é verdadeira.

"As vacinas iniciais entraram não em uso experimental, e sim emergencial, devido à urgência e à necessidade de as vacinas serem aprovadas por causa da pandemia. Então, em nenhum momento foi descartado que essas vacinas tivessem que ser testadas até a última fase, a três, para daí serem liberadas para uso no país. Não é um estágio experimental. A gente não está fazendo um experimento, não. A vacina foi testada, foi aprovada.”

“Já há o registro definitivo para duas vacinas no Brasil. A gente tem aprovado pela Anvisa o registro da Pfizer e da AstraZeneca. Então essas duas vacinas nem em uso emergencial mais estão. Elas já estão aprovadas para uso definitivo no país.”

#NÃOÉBEMASSIM. Veja por quê: A afirmação de Fakhoury está fora de contexto, já que o próprio Anthony Fauci, que é epidemiologista-chefe do combate à Covid-19 do governo dos Estados Unidos, mudou seu entendimento e suas recomendações posteriormente. O e-mail a que Fakhoury se refere foi escrito por Fauci em fevereiro de 2020. A mensagem foi obtida por meio de um pedido de acesso à informação e publicada pelo site americano Buzzfeed. Na época, ainda no início da pandemia de Covid-19, o médico afirmou que máscaras deviam ser usadas apenas por “pessoas infectadas, para evitar que espalhassem a infecção”. Naquele momento, ele acreditava que a máscara não era capaz de “proteger as pessoas não infectadas de contraírem a infecção”.

A recomendação do uso, no entanto, mudou conforme especialistas pesquisaram e descobriram mais evidências sobre a doença. Nos Estados Unidos, por exemplo, de início, a recomendação para o uso era restrita para profissionais de saúde e pessoas com sintomas da doença. Com a evolução no número de casos, o pedido foi expandido para toda a população. No Brasil, a situação foi parecida. O primeiro caso da doença foi registrado em março, mas a política de uso de máscaras só foi adotada em abril, mesmo mês em que os Estados Unidos tomaram a decisão pelo uso geral.

Em entrevistas posteriores, Fauci reconheceu que o entendimento inicial sobre o uso da máscara precisou ser modificado porque “as circunstâncias mudaram” também. Em julho de 2020, em entrevista à NPR, admitiu que a "mensagem confusa no início" foi "prejudicial para transmitir a recomendação sobre as máscaras".

Já foram realizados diversos estudos que comprovam a eficácia do uso da máscara. Como o novo coronavírus é transmitido principalmente pelo ar, o equipamento é essencial para evitar que uma pessoa seja contaminada ao inalar aerossóis produzidos quando alguém infectado exala, fala, grita, canta, espirra ou tosse.

Uma pesquisa publicada na revista “Science” em janeiro, por exemplo, mostrou que, se uma pessoa está em contato com alguém infectado, a máscara faz uma barreira, reduzindo a inalação do vírus. Outro estudo publicado pela The Lancet constatou que um aumento de 10% no uso de máscaras pode ser associado a uma probabilidade de mais de três vezes nas chances de manter a taxa de transmissão (Rt) abaixo de 1.

A checagem sobre a fala de Fauci já foi realizada por outros veículos como AFP, AP e Estadão Verifica.

A declaração é #FAKE. Veja por quê: Otávio Fakhoury se encontrou com Jair Bolsonaro em várias oportunidades. Ele mantém com o presidente uma relação que existe, pelo menos, desde 2015. Fakhoury já se encontrou no Congresso com Bolsonaro enquanto o atual presidente ainda era deputado. Também já viajou junto com ele, marcou um almoço para o presidente em sua casa e, atualmente, trabalha para que Bolsonaro se filie ao seu partido para disputar a reeleição.

Em 27 de julho, Fakhoury tomou posse como presidente estadual do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), que conversa para que o clã bolsonarista se filie ao partido para as eleições de 2022. Quatro dias depois, Fakhoury postou em uma rede social fotos com o presidente Jair Bolsonaro em um evento do partido. Em uma das fotos, Fakhoury diz: “TMJ Pr Jair Bolsonaro! Conte comigo e com o PTB São Paulo”.

Pouco tempo antes, em abril, Fakhoury confirmou para a repórter Mônica Bergamo que havia marcado um almoço para Bolsonaro em sua casa. Em razão do mau tempo, o local da refeição foi transferido para o Palácio Tangará, em São Paulo. O encontro contou com 40 pessoas, incluindo as ministras Damares Alves, ministra da Mulher e Direitos Humanos, Flávia Arruda, secretária de Governo, e Tereza Cristina, ministra da Agricultura.

Antes mesmo de Bolsonaro tomar posse como presidente, a esposa de Fakhoury, Vivian Kherlakian, que é uma estilista paulistana, foi a responsável por desenhar o vestido e os brincos que a vice-primeira dama, Paula Mourão, usou no baile de posse do novo governo.

Além disso, de acordo com apuração da Agência Pública, em 2019 Fakhoury se tornou o tesoureiro do Partido Social Liberal (PSL-SP) a pedido de Eduardo Bolsonaro, filho do presidente e então presidente do partido no estado.

Otávio Fakhoury também viajou em 2017 com o presidente Bolsonaro para Nova York, para acompanhar uma palestra que contou com a presença de Olavo de Carvalho. Ele atuou como tradutor do então deputado.

A declaração é #FATO. Veja por quê: Otávio Fakhoury, de fato, não é réu em processos criminais que tramitam tanto na Justiça Federal quanto na estadual. Existem 40 processos relacionados a Fakhoury tramitando em várias instâncias, mas em nenhum deles o depoente desta quinta na CPI responde criminalmente como réu.

Mesmo assim, Fakhoury é investigado no inquérito das Fake News, que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF), conduzido pelo ministro Alexandre de Moraes.

E existe ainda um inquérito da Polícia Federal, acolhido pelo Ministério Público Federal de São Paulo (MPF-SP), que investiga os responsáveis por atos antidemocráticos realizados no ano passado, que corre na 1ª Vara Criminal Federal de São Paulo, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos