Veja o que foi destaque na manhã desta sexta-feira no Rio: praias fechadas e caso Henry

O Globo
·1 minuto de leitura

RIO — A manhã desta sexta-feira foi marcada pelo decreto do prefeito Eduardo Paes que decidiu pelo fechamento da praias na cidade, entre outras medidas para deter o avanço da Covid-19. A decisão provocou repercussão entre especialistas e até no presidente Jair Bolsonaro. Outro assunto de grande impacto no dia foi uma declaração da mãe do menino Henry Borel Medeiros, morto aos 4 anos. Veja abaixo mais detalhes:

Praias fechadas

Um decreto de Paes cria novas restrições válidas no fim de semana (sábado e domingo) e proíbe não apenas o banho de sol nas areias como também esportes altinho e partidas de futevôlei, entre outros), o banho de mar e atividades econômicas por ambulantes e barraqueiros. Além disso, o estacionamento na orla foi proibido — exceto para os moradores —, idosos, portadores de necessidades especiais, hóspedes de hotéis e táxis. O prefeito disse que a situação é "grave". Houve protesto na frente da Prefeitura, na Cidade Nova. Especialistas estão divididos.

Bolsonaro reage

O fechamento das praias anunciado por Paes foi tratado como "hiprocrisia" pelo presidente Jair Bolsonaro. "A vitamina D é uma forma de você evitar que o vírus te atinja com gravidade", disse o mandatário.

Caso Henry

Mãe de Henry Borel Medeiros, a professora Monique Medeiros da Costa e Silva de Almeida disse acreditar que as lesões apresentadas no laudo de exame de necropsia foram provocadas por uma queda do menino da cama, na madrugada do último dia 8. Ela e o namorado, o médico e vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho (Solidariedade), prestaram depoimento à Polícia Civil.