Veja o que se sabe sobre morte de jovem em motel no interior de SP na virada de ano

A Polícia Civil de São Paulo aguarda o laudo do Instituto Médico-Legal (IML) para saber o que causou a morte de Melina Eduarda Lopes Manzano, de 18 anos. Ela estava com o namorado, de 23, num motel em Ourinhos, no interior do estado, e, segundo o rapaz, acordou passando mal no dia 1o de janeiro.

Policiais militares acionados para o local encontraram Melina desmaiada. O Samu foi acionado, mas a jovem - que deixa um filho de 9 meses - não resistiu.

- Estamos aguardando os laudos de necrópsia e de local. Vou pedir urgência neles. E ouvindo pessoas da família. Vamos ouvir o namorado também - disse Cristiane Camargo Braga, delegada seccional de Ourinhos.

Veja o que se sabe até agora sobre a morte de Melina, segundo a polícia:

Conhecida como Mel, a vítima estava no motel, localizado na Rodovia Mello Peixoto, com o namorado, de 23 anos. Ele contou aos policiais que foram acionados para o local que estava dormindo e, quando acordou, a jovem já estava passando mal.

Os policiais militares encontraram Melina deitada na cama, desmaiada. Uma equipe do Samu foi acionada para o motel, mas a jovem não resistiu. O corpo seguiu para o Instituto Médico-Legal. A Delegacia Seccional de Ourinhos, onde o caso foi registrado como morte suspeita, solicitou exames tanto para o IML quanto para o Instituto de Criminalística (IC).

A notícia da morte de Melina repercutiu nas redes sociais, com internautas postando teorias sobre o que teria acontecido no motel. Uma jovem que se apresentou como prima da vítima pediu que não sejam feitos julgamentos.

No texto ela afirma que o namorado de Melina “não fugiu, acionou o Samu, fez todos os procedimentos (massagem cardíaca e etc) até a chegada dos socorristas”.