Veja reações de representantes do setor produtivo sobre invasões em Brasília

Apoiadores de Bolsonaro tomam Congresso

(Reuters) - Uma série de associações do setor produtivo e empresas se manifestou sobre as invasões de golpistas aos prédios do Três Poderes, em Brasília, no domingo.

Veja as reações a seguir:

INSTITUTO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO (IBRAM)

"Entidade apartidária, e as mineradoras associadas irão doar 1 milhão de reais a serem destinados à reparação do patrimônio público dos três poderes em Brasília, depredado neste domingo (8 de janeiro). Trata-se de um gesto simbólico para reafirmar nosso compromisso com a Democracia. Todo brasileiro e brasileira deve se sentir atingido pelos ataques desferidos contra os poderes da República. O momento é de cada um(a) demonstrar que a violência não pode ser aceita como um caminho para se protestar e impor vontades. Reconciliar o país é essencial para o desenvolvimento social e econômico. Apoiar a reparação dos danos é uma decisão do Ibram e das mineradoras associadas para frisar sua crença e respeito à Democracia, condição para a justiça social e a preservação do meio ambiente."

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS AÉREAS (ABEAR)

"Repudia publicamente os atos de vandalismo praticados neste domingo, 8/1, nas sedes dos Três Poderes, no Distrito Federal. São atos que afrontam o Estado Democrático de Direito, atrapalham o desenvolvimento econômico do Brasil e trazem prejuízos a toda a sociedade brasileira. A ABEAR acredita em um espaço plural de diálogo e construção coletiva e reforça seu compromisso com a democracia e com o fortalecimento das instituições, fundamentais para o desenvolvimento do país."

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE TECNOLOGIA PARA SAÚDE (ABIMED)

"Vem a público manifestar o seu apoio ao fortalecimento das instituições democráticas, ao Estado de Direito e o respeito aos poderes constituídos. Somente com a inclusão de todos, poderemos concentrar esforços no desenvolvimento do país e na retomada econômica, trazendo a tranquilidade e a confiança tão importantes para o período que atravessamos. Acreditamos fortemente na união em prol de uma Nação pacificada e ordeira, com a paz social de que precisamos."

SINDICATO DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO ESTADO DE SÃO PAULO (SINDUSCON-SP)

"Repudia os injustificados ataques cometidos contra as instituições da República e o Estado de Direito Democrático. Por buscarem implementar o terror e agredirem o ordenamento constitucional, os responsáveis por esses ataques e seus instigadores devem ser investigados, processados e devidamente submetidos ao rigor da lei. Para além das medidas de responsabilização, urge que agora o país retome o caminho da normalidade diante das tarefas gigantescas que temos pela frente..."

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DO AGRONEGÓCIO (ABAG)

"Com a responsabilidade e a preocupação com os fatos ocorridos no domingo, 08/01/2023, nas sedes dos três Poderes da República, em Brasília, posiciona-se a favor do equilíbrio a se procurar nesse momento tenso. É descabida, ilegal e inaceitável a ação de movimentos de invasões e vandalismo, assim como não se deve fazer declarações precipitadas, seja pelo setor privado ou o público. Ao defender a democracia, temos a obrigação de buscar a união e o amor pela pátria de todos os brasileiros. O agronegócio é defensor de soluções que levem à paz, inclusive tendo um de seus ilustres líderes, Alysson Paulinelli, como candidato ao Prêmio Nobel da Paz."

ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES DE SOJA E MILHO DE MATO GROSSO (APROSOJA-MT)

"Repudia as invasões e atos de vandalismo ao Congresso Nacional, ao Supremo Tribunal Federal e ao Palácio do Planalto ocorridos neste domingo, em Brasília. Como entidade que preza pelo cumprimento das leis e da Constituição, defendemos a liberdade de pensamento e a manifestação pacífica, mas jamais poderemos concordar com invasão e depredação de qualquer propriedade, seja ela pública ou privada... Declarações que atribuam ao setor participação nos ataques são descabidas e não retratam a real importância do agro brasileiro para o país. Somos contra grilagens e invasão da propriedade privada, o desmatamento ilegal e o uso irrestrito de pesticidas em lavouras. Prezamos pela democracia e somos contra quaisquer atos que gerem prejuízos ao Brasil, e nos opomos a quaisquer conclusões que não representem a verdade."

CROPLIFE BRASIL (CLB)

"A CropLife Brasil (CLB) repudia, veementemente, todo ato violento, de vandalismo e de desrespeito à democracia, independentemente de sua natureza. As invasões e as destruições ocorridas no Palácio do Planalto, no Supremo Tribunal Federal (STF) e no Congresso Nacional, em Brasília, nesse domingo, 08 de janeiro de 2023, são absolutamente incompatíveis à retomada de crescimento econômico do Brasil. Como entidade que representa a indústria que desenvolve tecnologias que promovem a sustentabilidade no agronegócio brasileiro, reiteramos que inovações precisam de ambientes que respeitem as instituições democráticas, obedeçam aos processos e garantam segurança jurídica. O agronegócio representado pela CLB é cumpridor da lei, dedicado produtor de alimentos seguros e saudáveis, protetor dos biomas do Brasil, desenvolvedor de tecnologias que contribuem para a mitigação das mudanças climáticas, gerador de empregos e um contribuidor para a economia do País."

FEDERAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR (FENASAÚDE)

"Manifesta o seu total repúdio às ações antidemocráticas que culminaram na invasão e depredação dos edifícios do Congresso Nacional, Palácio do Planalto e do Supremo Tribunal Federal no último domingo, 8 de janeiro de 2023. Também presta apoio às instituições que, igualmente, se posicionaram publicamente contra tais atos de vandalismo, tal qual o Fórum de Dirigentes de Agências Reguladoras Federais, liderado pelo presidente da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), Paulo Rebello. A violência e o desrespeito às instituições não condizem com uma Nação que precisa urgentemente promover mais segurança e bem-estar à sua população, em especial no âmbito da Saúde."

FRENTE PARLAMENTAR DA AGROPECUÁRIA (FPA)

"A FPA como defensora do desenvolvimento do setor agropecuário brasileiro e do país como um todo, assim como o setor, representado por suas entidades, não compactuam ou têm participação nos atos antidemocráticos acontecidos na Capital Federal... Declarações que atribuam ao setor participação nos ataques são descabidas e não retratam a real importância do agro brasileiro para o país. A bancada é contra a grilagem, o desmatamento ilegal e o uso irrestrito de pesticidas em lavouras. Assim, é importante esclarecer que a FPA e os representantes do agro prezam pela democracia e se posicionam contra quaisquer atos que gerem prejuízos aos país."

UNICA (UNIÃO DA INDÚSTRIA DE CANA-DE-AÇÚCAR E BIOENERGIA)

"Repudia veementemente os atos de vandalismo e de desrespeito institucional realizados em Brasília. Nada os justifica. As opiniões políticas - tão valiosas para a democracia - devem ser manifestadas pelo voto e pelos canais republicanos, jamais pela força e pela incivilidade... Neste momento, o Brasil precisa de comprometimento, não só de seu povo, mas de todos os setores da economia para garantirmos a estabilidade do país e o seu bem comum."

ABPA (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PROTEÍNA ANIMAL)

"Repudia veementemente os ataques e os atos de vandalismo ocorridos ontem (08), em Brasília (DF), contra as instituições que alicerçam nossa Democracia. A ABPA, que representa a avicultura e a suinocultura do País, destaca a convicção de toda a agroindústria produtora de alimentos na preservação do Estado Democrático. Não há outra maneira de manifestação admissível além daquela realizada pacificamente. Atos violentos são criminosos e devem ser punidos com todo o rigor da Lei."

ANFFA SINDICAL (SINDICATO DOS AUDITORES AGROPECUÁRIOS)

"O ANFFA Sindical, que representa mais de 4 mil auditores fiscais federais agropecuários (Affas) ativos e inativos... repudia os atos de vandalismo praticados por terroristas, no Congresso Nacional, no Supremo Tribunal Federal (STF) e no Palácio do Alvorada, neste domingo (8). Os atos que ameaçam a democracia brasileira e questionam a lisura do recente processo eleitoral realizado no país devem ser exemplarmente punidos com o rigor da Lei."

IBP (INSTITUTO BRASILEIRO DO PETRÓLEO E GÁS)

"Repudia veementemente os atos de vandalismo e atentados contra a democracia ocorridos em Brasília..., que violam a ordem pública nacional. Discordâncias políticas não podem transcender para atos de vandalismo, desrespeito às instituições e ao Estado Democrático de Direito, e destruição do patrimônio público."

FIESP (FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO)

"Infelizmente, aconteceram os graves eventos que buscávamos prevenir com o ato cívico histórico promovido em 11 de Agosto, no Largo São Francisco, quando diversas entidades da sociedade civil, incluindo a FIESP, subscreveram o documento Em Defesa da Democracia e da Justiça. O Estado de Direito foi ferido. A invasão do Congresso Nacional, do Palácio do Planalto e do Supremo Tribunal Federal, neste domingo, por vândalos equiparados a terroristas é consequência dos sólidos antecedentes, não apenas retóricos, que indicavam o desenvolvimento de uma trama com intenções golpistas. O pior aconteceu, e alguns subversivos hostis aos fundamentos do Estado de Direito marcharam sobre a Capital Federal neste domingo..."

FÓRUM DE DIRIGENTES DE AGÊNCIAS REGULADORAS FEDERAIS

"Repudia, com veemência, os atos de vandalismo praticados neste domingo, 8/01, nas sedes dos Três Poderes, no Distrito Federal. A invasão e depredação de prédios públicos são inaceitáveis e configuram total desrespeito à democracia e às instituições brasileiras. É preciso que haja responsabilização e que tais agentes sejam punidos com rigor, de forma que não ocorram mais ações como essas, que afrontam gravemente o Estado Democrático de Direito."

APROBIO (ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES DE BIOCOMBUSTÍVEIS DO BRASIL)

"Repudia veementemente os atos que ocorreram no Distrito Federal neste domingo... São inacreditáveis e inaceitáveis e precisam ser investigados a fundo de modo a encontrar e punir os verdadeiros culpados de forma que não paire sobre setores inocentes qualquer desconfiança. A APROBIO defende que o único caminho para o desenvolvimento sustentável, para a paz social e para a segurança jurídica é um diálogo institucional que contemple os interesses de toda a sociedade brasileira em benefício comum."

NATURA

"Repudia os ataques contra as sedes dos Três Poderes, em Brasília. Esses atos criminosos representam uma afronta à democracia brasileira, em uma tentativa de calar as instituições constituídas e silenciar os espaços públicos de diálogo. As cenas a que assistimos neste domingo se opõem a nossas crenças e razão de ser."

ABIQUIM (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA QUÍMICA)

"O Brasil vive um momento delicado em que precisa de união em torno do combate ao verdadeiro inimigo da nação: a pobreza, que engloba a fome e condições precárias de saúde, educação e habitação. Esse clima de desordem pode levar à fuga de capitais, investimentos e unidades produtivas, além de prejudicar a imagem do Brasil no exterior. Bloqueios em rodovias ou vias urbanas já demonstraram o grande prejuízo que trazem a todos, além de configurarem flagrante agressão ao direito de ir e vir... Somos contrários à atos que agridam a constituição brasileira, a paz e a ordem legal."