Velhas promessas: candidatos da Baixada têm propostas que nunca saíram do papel

Marcelo Remigio
·3 minuto de leitura

Elas passam de eleição para eleição, enchem de expectativa o eleitor e não saem do papel. São as promessas repetidas a cada campanha por candidatos a prefeito de cidades da Baixada Fluminense, que povoam os planos de governo. Há candidato que chega a manter o mesmo plano de governo de um pleito para outro, e propostas que se arrastam desde os anos 1980.

Em Nova Iguaçu, promessas resistem ao tempo, como a construção de um teatro municipal e de uma nova biblioteca. Marco da história iguaçuana, a Fazenda São Bernardino é alvo dos candidatos. O casarão sede, de 1875, permanece há décadas em projetos de preservação do patrimônio, mas só recentemente foi desapropriado. A fazenda está nos planos de governo de Rogério Lisboa (PP), que tenta a reeleição, Max Lemos (PSDB) e Delegado Carlos Augusto (PSD). A prefeitura informou que conseguiu recursos para obras na São Bernardino, que foram licitadas e devem começar até dezembro.

Na área de mobilidade urbana, Lemos e Carlos Augusto, que praticamente repetiu seu plano de governo de 2016, questionam o transporte alternativo e prometem nova regulamentação, promessa antiga. Lemos também aposta numa nova rodoviária para desafogar o trânsito no Centro, proposta que resiste desde os anos 1980.

Para Carlos Augusto, a “falta de gestão administrativa e financeira” contribui para o não cumprimento de promessas. Já Lemos diz que tem faltado “gestão” em Nova Iguaçu. Lisboa afirma que dívidas herdadas prejudicaram os projetos e o caixa da prefeitura.

São João de Meriti

Com uma população de 473 mil habitantes, São João de Meriti também não é poupado de promessas que são retiradas da gaveta no período eleitoral. Candidato à reeleição, o prefeito João Ferreira Neto (DEM), o Dr. João, prometeu em seu plano de governo de 2016 uma negociação com o governo do estado para a construção de um viaduto ligando Coelho da Rocha à cidade vizinha de Belford Roxo. A proposta voltou na campanha deste ano. Também está entre as promessas que voltaram à campanha do prefeito a construção de novos terminais rodoviários, como parte de um projeto de mobilidade.

A inauguração de um hospital infantil é outra proposta que segue firme nas eleições municipais. A promessa, uma das reivindicações mais antigas dos moradores da cidade, está entre os projetos de Dr. João e de seus adversários, como Giovani Ratinho (PROS) e Leo Vieira (PSC).

Duque de Caxias

Em Duque de Caxias, maior colégio eleitoral da Baixada, as promessas também retornam aos palanques. Atual prefeito e candidato à reeleição, Washington Reis (MDB) não deixa de repetir propostas feitas em 2016 e reivindicadas anteriormente por moradores da cidade. Entre as que não saíram do papel estão a construção dos viadutos de Campos Elíseos, Jardim Primavera e Saracuruna. Climatização de escolas, bibliotecas informatizadas e construções de quadras esportivas seguem firmes entre as promessas recicladas.

No “vale a pena ver de novo”, o candidato Dica (PL) também repete propostas de 2016, quando era do PTN, como um curso pré-vestibular gratuito e apoio ao professor.

Na Serra

A Serra de Madureira é sempre lembrada nas eleições para prefeito de Nova Iguaçu, com a promessa de reflorestamento de áreas degradadas. Em 2006, um projeto de plantio de mudas da Mata Atlântica chegou a ser colocado em prática. Mas, apesar de os avanços, o capim-colonião ainda toma conta das encostas desmatadas no século passado para o plantio de laranja. Hoje, a região é ameaçada por construções irregulares. Em nota, a prefeitura informou que foram plantadas “milhares de árvores nativas da Mata Atlântica” e que aderiu ao Projeto Florestas do Amanhã, do estado, em que receberá 300 mil mudas para plantio.