R$ 125 milhões: Homem que se diz vencedor da Mega da Virada aciona Procon e quer receber prêmio fora do prazo

·3 minuto de leitura
De acordo com as regras da Mega da Virada, os vencedores têm um prazo de 90 dias depois do resultado do sorteio ser divulgado para retirarem o prêmio
De acordo com as regras da Mega da Virada, os vencedores têm um prazo de 90 dias depois do resultado do sorteio ser divulgado para retirarem o prêmio
  • Um dos vencedores da Mega da Virada 2020 não foi buscar o dinheiro dentro do prazo estipulado

  • Um homem alegando ser o vencedor "sumido" acionou o Procon-SP para receber valor que iria para o Fies, o Fundo de Financiamento do Ensino Superior

  • O outro ganhador, de Aracaju, retirou o prêmio

Um homem acionou, nessa quinta-feira (22), o Procon-SP afirmando ser o vencedor da Mega da Virada de 2020, prêmio que foi sorteado no dia 31 de dezembro do ano passado. O órgão diz que acionará a Caixa Econômica Federal, responsável pela loteria, para confirmar a identidade do apostador. A informação é do jornal "Agora São Paulo".

De acordo com as regras da Mega da Virada, os vencedores têm um prazo de 90 dias depois do resultado do sorteio ser divulgado para retirarem o prêmio. Caso não o façam, perdem o direito ao dinheiro. O valor do prêmio que oficialmente foi perdido e agora é requisitado pelo homem é de R$ 162,6 milhões.

Leia também

Sabe-se que o vencedor (ou vencedora) do prêmio reside na capital paulista e realizou a aposta pela internet. A fortuna se tornou o maior prêmio da história das loterias a não ser retirado até hoje. "Esquecido", o montante vai para o Fies (Fundo de Financiamento do Ensino Superior). ​

Vale lembrar que o concurso teve dois ganhadores no país. Uma aposta de Aracaju, no Sergipe, também feita pela internet teve direito ao mesmo prêmio (R$ 162,6 milhões) por acertar as seis dezenas da Mega da Virada que, portanto, teve o maior prêmio de sua história: R$ 325,2 milhões. Os números sorteados foram: 22 - 35 - 17 - 41 - 20 - 42.

O que diz o Procon-SP

Segundo Procon-SP, como a aposta foi feita pela internet, há plenas condições de fazer a identificação do vencedor. Caixa nega que cadastro virtual tenha essa objetivo
Segundo Procon-SP, como a aposta foi feita pela internet, há plenas condições de fazer a identificação do vencedor. Caixa nega que cadastro virtual tenha essa objetivo

O Procon-SP garante que, mesmo que a Caixa alegue que o consumidor perdeu o prêmio por não ter retirado a bolada dentro do prazo estipulado, a instituição tem o dever de realizar o pagamento.

Segundo o órgão, como a aposta foi feita pela internet, há plenas condições de fazer a identificação do vencedor. 

“A Caixa tem como identificar quem é o ganhador. E queremos apurar se esse consumidor que nos procurou é efetivamente quem venceu o sorteio”, afirma Fernando Capez, diretor-executivo do Procon-SP, em nota divulgada pela "Agora São Paulo".

A Caixa já havia sido notificada a identificar o apostador e realizar o pagamento da bolada em março. Contudo, a instituição respondeu que a obrigação de reclamar o prêmio no prazo de 90 dias é de responsabilidade do vencedor. Alegou ainda que o cadastro realizado via internet não tem como objetivo identificar, mas sim verificar outros dados do apostador (CPF, maioridade civil, entre outros).

Em nota enviada ao "Agora" na ocasião, a Caixa afirmou que, segundo a lei 13.756/2018, "cabe exclusivamente ao apostador solicitar o recebimento de prêmios de loterias em até 90 dias".