Venda de máscara em farmácia volta a subir com avanço da Covid

·1 min de leitura
***ARQUIVO***São Paulo, SP, Brasil, 17-09-2021: (HOME GENÉRICA DIGITAL): Máscara. (foto Gabriel Cabral/Folhapress)
***ARQUIVO***São Paulo, SP, Brasil, 17-09-2021: (HOME GENÉRICA DIGITAL): Máscara. (foto Gabriel Cabral/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O avanço da ômicron inverteu a tendência de queda na demanda por máscaras nas farmácias. Nas unidades da RaiaDrogasil, a venda diária cresceu 20% nos últimos 20 dias na comparação com os níveis de outubro e novembro.

No início de novembro do ano passado, a rede informava que o número de unidades vendidas havia caído 40% em três meses. O cenário da época mostrava os efeitos positivos da vacinação das estatísticas da pandemia e algumas cidades já anunciavam o fim da obrigatoriedade do uso da máscara, mas a chegada da ômicron interrompeu o movimento.

O Grupo DPSP, dono das redes Drogarias Pacheco e São Paulo, fala em aumento de 30% nas vendas de álcool em gel e máscaras nas últimas três semanas.

Na Pague Menos, a demanda pelo produto descartável subiu cerca de 125% em dezembro, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, segundo a empresa. Depois da virada do ano, até o dia 11 de janeiro, o crescimento se repete no mesmo patamar.

Raul Casanova Júnior, diretor-executivo da Animaseg (Associação Nacional da Indústria de Material de Segurança e Proteção ao Trabalho), diz que a indústria também espera aquecimento na demanda.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos