Vendas de imóveis reagem em outubro salvando o ano, diz Creci-SP

SÃO PAULO – As vendas de imóveis usados no Estado de São Paulo reagiram alcançando uma forte alta de 47,23% em outubro do ano passado, frente a setembro, segundo dados divulgados pelo Creci-SP (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo) nesta terça-feira (8). Foi a maior alta apontada até agora para o ano passado, o que fez com o que o crescimento acumulado em 2012 saísse do negativo (-18,5% em setembro) para o positivo (28,73% em outubro).

O presidente do Creci-SP, José Augusto Viana, comemorou os resultados: “As vendas de outubro podem ter salvo o ano”. Para ele, isso se deve à expectativa de que novembro e dezembro tenham registrado também desempenho positivo, mesmo que em percentuais menores. “Se isso ocorrer, fecharemos 2012 no azul”, relatou ele, falando que os números de vendas e locações de novembro ainda estão sendo apurados.

Viana ainda explicou que o comportamento do mercado não se encaixa em fórmulas nem em padrões estáticos de desempenho, e por isso sempre pode surpreender. “Apesar disso, os dois meses finais do ano reúnem elementos que nos permitem esperar por resultados positivos”, informou ele. Além disso, o presidente do Creci-SP também argumenta que a renda das famílias engorda nos dois últimos meses do ano, com ganhos extras como o 13º salário, bônus de participação em resultados e até adiantamento de férias – sendo assim, parte deste dinheiro costuma ser destinado à compra ou troca da casa própria e à mudança ou locação de casa ou apartamento.

De acordo com o levantamento, feito com 1.430 imobiliárias pesquisadas em 37 cidades, na comparação mensal, todas as quatro regiões analisadas pelo Creci-SP, tiveram variações positivas nas vendas. Na Capital o aumento foi de 10,31% e no Interior, de 38,88%. No Litoral as vendas subiram 6,95% em outubro. Já a maior alta foi no grupo das cidades de Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Guarulhos e Osasco: de 143,61%.

Preferências No décimo mês do ano anterior, as casas e apartamentos de R$ 200 mil foram os mais vendidos, representando 53,37% dos contratos. Foram comercializados mais apartamentos (64,61%) do que casas (35,39%).

Financiamento Quanto às formas de pagamento dos imóveis, no Estado de São Paulo, 57,05% foram na forma de financiamento – quase que majoritariamente pela Caixa Econômica Federal (48,96% dos contratos). A região do ABCD, Guarulhos e Osasco registrou o maior número de financiamentos, com 84,46%, enquanto o Interior apresentou 64,14%; Litoral registrou 46,15% e Capital teve 48,61% de financiamento.

Carregando...

YAHOO NOTÍCIAS NO FACEBOOK

Siga o Yahoo Notícias