Venezuela denuncia Banco de Inglaterra para recuperar seu ouro

Pedestre é refletida em janela ao passar em frente ao Banco da Inglaterra

A Venezuela apresentou uma denúncia contra o Banco da Inglaterra para devolver parte das reservas de ouro depositadas em seus cofres, anunciou nesta quinta-feira o escritório de advocacia que representa o governo venezuelano em Londres.

"O Zaiwalla & Co recebeu instruções da atual administração do Banco Central da Venezuela (BCV) para emitir uma reivindicação contra o Banco da Inglaterra (BoE) para devolver US$ 1 bilhão das reservas de ouro da Venezuela para ajudar o país a luta a COVID-19", informou o escritório de Londres em comunicado.

De acordo com esse escritório de advogados, o instituto monetário venezuelano solicitou em abril que o ouro fosse transferido diretamente para o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

"O BoE se recusou a confirmar que agiria de acordo com as instruções, argumentando que não reconhece a autoridade da atual gestão do BCV e do governo venezuelano", disse Zaiwalla & Co.

Contatado pela AFP, o Banco da Inglatera, que possui reservas significativas de ouro em nome de vários países, afirmou que não comenta informações sobre suas relações com clientes.

"A Venezuela processa o Banco da Inglaterra no tribunal britânico por roubar 31 toneladas de ouro venezuelano sob sua custódia. O roubo é um crime de extermínio ao negar ao povo meios vitais para enfrentar a pior pandemia em um século", tuitou o representante da Venezuela na ONU, Samuel Moncada.