Venezuela pede e FMI nega US$ 5 bi para conter coronavírus

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, discursa usando máscara de proteção em 13 de março de 2020.

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, pediu nesta terça-feira ao Fundo Monetário Internacional (FMI) uma ajuda de US$ 5 bilhões para lidar com o novo coronavírus, solicitação já negada pela instituição financeira.

Em carta, Maduro pediu ao FMI que considerasse conceder a ele "um mecanismo de financiamento por 5 bilhões de dólares do fundo de emergência do Instrumento de Financiamento Rápido".

Mas o FMI respondeu que "lamentavelmente o Fundo não está em condições de analisar a solicitação" diante da "falta de clareza" envolvendo o reconhecimento internacional do governo da Venezuela, revelou um funcionário da instituição financeira à AFP.

Os recursos, segundo Maduro, contribuiriam "significativamente para fortalecer nossos sistemas de detecção e resposta" diante da pandemia que até agora causou 33 pacientes na Venezuela.

Essa ajuda solicitada por Maduro ao FMI era a primeira feita pela Venezuela desde 2001.

A última visita de uma missão técnica da agência a Caracas foi em 2004.