Venezuela taxa sua moeda virtual, o Petro, em 60 dólares

(Arquivo) A criptomoeda foi lançada diante dos graves problemas de liquidez que levaram a Venezuela a ser declarada em moratória oficial

A Venezuela estabeleceu, nesta quarta-feira (31), o valor inicial de sua criptomoeda, o Petro, em 60 dólares. Ela lançada pelo governo diante dos graves problemas de liquidez que levaram o país a ser declarado em moratória parcial.

Uma pré-venda de 38,4 milhões de unidades acontecerá entre 20 de fevereiro e 19 de março, sobre uma emissão total de 100 milhões, indica o chamado "White Paper" (livro branco) do Petro, apresentado hoje pelo ministro de Ciência e Tecnologia, Hugbel Roa, e pelo Banco Central.

O documento fixa em 60 dólares o "preço de venda de referência" do Petro, equivalente ao preço de um barril de petróleo venezuelano - cujas reservas respaldarão a moeda - em meados de janeiro.

No entanto, esclarece que esse valor estará "sujeito a mudanças de acordo com as flutuações do mercado de petróleo".

A normativa propõe "descontos" como incentivo aos investidores, sem especificar valores.

Roa indicou à imprensa que a criptomoeda permitirá "quebrar o cerco financeiro" das sanções dos Estados Unidos, que proíbem a transação de novas dívidas da Venezuela e sua petroleira estatal PDVSA, também declarada em moratória parcial por atrasos nos pagamentos de títulos.