Verão deve ser chuvoso e com temperaturas dentro da média em SP

LARISSA TEIXEIRA
·3 minuto de leitura

SÃO PAULO (FOLHAPRESS) - O verão começou nesta segunda-feira (21) com temperatura acima dos 30ºC. No entanto, os termômetros não deverão ultrapassar 23ºC na capital nos próximos dias. A previsão do CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas da Prefeitura de São Paulo) é de que os próximos meses tenham chuvas dentro da média histórica ou até um pouco acima do esperado. As temperaturas na Grande São Paulo também deverão ser semelhantes às de anos anteriores, segundo o CGE. Neste ano, a estação será influenciada pelo fenômeno La Niña, que resfria as águas do Oceano Pacífico Equatorial e afeta o clima na região Sudeste do Brasil. De maneira geral, o órgão informa que o verão é marcado por dias mais longos, chuvas fortes e de curta duração, além de rajadas de vento e possibilidade de queda de granizo durante a tarde. Neste primeiro dia do verão (21), a temperatura mínima é de 21ºC e a máxima de 32ºC. Por volta das 15h, a zona leste de São Paulo entrou em estado de atenção para alagamentos por causa da chuva. Nas próximas horas, a capital deve continuar tendo pancadas de chuva com rajadas de vento e trovoadas por causa das altas temperaturas e a chegada de uma frente fria. Com isso, além da chance de alagamentos, pequenos rios e córregos podem transbordar. Durante a semana, esta frente fria sobre o oceano deve continuar influenciando no tempo. Conforme as informações do CGE, esta terça-feira (22) terá chuvas entre a madrugada e o período da manhã. O termômetro irá variar entre 18ºC e 22ºC. Já na quarta-feira (23), deve haver nebulosidade e garoa no início e no fim do dia. A temperatura mínima prevista é de 17ºC e a máxima, de 22ºC. Segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), a véspera de Natal (24) terá nuvens e chuva isolada. Os termômetros deverão oscilar entre 15ºC e 21ºC. No dia do Natal (25), o tempo nublado continua, mas a temperatura mínima prevista é de 17ºC e a máxima, de 23ºC. Primavera foi mais chuvosa do que o esperado Até a última sexta-feira (19), o CGE registrou uma primavera com chuvas e temperatura acima da média na capital. Segundo o órgão, o mês de outubro teve temperaturas mínimas e máximas acima do esperado. Na época, o Agora mostrou que o início da primavera foi marcado por recorde de calor no ano. Dias depois, em outubro, a capital paulista registrou a segunda maior temperatura da história. Já o mês de novembro teve a temperatura mínima abaixo do esperado e a máxima na média. Por fim, em dezembro, todas as variações ficaram dentro da média. Ainda conforme o CGE, a chuva esperada para a estação era de 352,2 milímetros, mas a precipitação ocorrida na primavera de 2020 foi de 364 milímetros, uma diferença de 3,4%. O volume também é superior ao mesmo período do ano passado, que foi de 270,1 milímetros. Enquanto outubro foi o oitavo mês mais chuvoso, segundo os registros do CGE, novembro teve precipitação um pouco abaixo da média. No início deste dezembro, o Sistema Cantareira, que abastece a região metropolitana de SP, teve o menor desempenho desde 2015, com 33,06% da capacidade, devido a combinação entre atraso nas chuvas e aumento no consumo de água.