Vera Fischer diz que se sente mais jovem aos 68 e desabafa sobre assédio: 'Não sei como sobrevivi aos ataques machistas'

Extra
·3 minuto de leitura
Foto: Fernando Torquatto
Foto: Fernando Torquatto

No ar na reprise de "Laços de família", Vera Fischer relembrou o assédio que sofreu no início da carreira, logo após ser eleita miss Brasil, em 1969. A atriz, hoje com 68 anos, disse que se recusou diversas vezes a fazer o famoso "teste do sofá" e teve que enfrentar o "machismo escancarado".

"Fui miss com 17 anos, em 1969. Peguei os anos 70 com um machismo escancarado. Não sei como consegui sobreviver aos ataques machistas, que foram severos, nos anos 70, 80 e até 90. Houve uma coisa que, se você não tem uma certa diplomacia e jogo de cintura, você não consegue sair viva disso", desabafou ela, em a live no Instagram da "Caras".

"Muitas mulheres passaram pelo que passei. Alguns sucumbiram, eu não. Às vezes, fui mal vista pelos poderosos por que falei: 'comigo não! Eu quero trabalhar. Se eu o meu talento não for suficiente, eu vou embora'. Não vou ficar dando para ninguém, não. Meu corpo é meu corpo. Foi difícil", completou.

Faxina na pandemia

A atriz, que passa a quarentena em seu apartamento, na Zona Sul do Rio, acompanhada do filho, o editor de vídeos Gabriel, de 27 anos, e da nora, conta que dispensou os empregados e passou a cuidar da limpeza da casa.

"Moro no apartamento muito grande, que tem jardim e piscina. Não estou recebendo empregados. Descobri que sou uma exímia faxineira. Eu limpo a minha casa, faço faxina, limpo o chão, cuido das plantas e faço uma comidinha de vez em quando", contou.

'Nunca fiz nenhum procedimento no rosto'

A beleza da atriz, claro, também foi abordada na entrevista, e ela afirmou que nunca fez nenhum procedimento estético no rosto e que está sem fazer exercícios físicos desde janeiro.

"Nunca fiz nenhum procedimento no rosto, nem botox, nada. Às vezes, tenho vontade de fazer, mas o medo de perder a minha expressão é muito grande. Me cuido de uma forma bem simples. Nunca durmo de maquiagem, bebo muita água e como muita verdura e fruta, desde criança. Talvez isso ajude a você manter a saúde física. Desde o início do ano, eu fazia karatê. Não posso fazer mais porque não posso botar ninguém dentro da minha casa por conta da pandemia. Estou sem fazer exercícios físicos desde janeiro. Meu corpo está sentindo falta. Eu caminho na minha casa e faço faxina, limpo o chão, é um exercício".

'Me sinto mais jovem'

Ela também falou que se sente muito mais bonita hoje, aos 68 anos: "Gosto muito mais do meu corpo agora do que numa época, entre 2010 e 2015, quando eu engordei e estava muito infeliz. Eu engordei, estava num momento de cabeça meio infeliz, porque não pintava um personagem maravilhoso na televisão e nem cinema. Estava me sentindo meio órfã, apesar de estar fazendo teatro, que eu sempre amei muito. Mas eu estava me sentindo velha. Minha expressão, fisionomia... Agora, estou me sentindo bem mais jovem do que naquela época. Hoje estou muito atuante. E isso me traz alegria, e a alegria me faz me sentir bonita".