Verba para saúde pública pode ter perda de R$ 25 bilhões em 2022

·2 minuto de leitura
Foto: Getty Images.
Foto: Getty Images.
  • Como efeito da pandemia, há a possibilidade de em 2022 se reduzir verba da saúde pública;

  • De acordo com a lei do teto, essa alteração é a da inflação em 12 meses até junho do ano precedente;

  • Como resultado, o menor valor a ser posto na saúde em 2022 é de R$ 134,1 bilhões.

Com o fim do orçamento extraordinário criado pelo governo em dezembro, efeito criado pela pandemia de Covid-19, há possibilidade de se reduzir em R$ 25 bilhões a verba destinada à saúde pública em 2022.

O motivo é que as despesas em saúde voltarão a cumprir o teto de gastos, limitando o aumento de custos à variação da inflação do ano anterior.

Leia também:

Segundo a lei do teto, essa alteração é a da inflação em 12 meses até junho do ano precedente. No período, a inflação concentrou 8,35%. Como efeito, o menor valor a ser posto na saúde em 2022 é de R$ 134,1 bilhões.

O Ministério da Economia enviou a proposta de orçamento ao Congresso nacional em agosto, na qual prevê para o ano que vem o valor de R$ 134,4 bilhões em despesas para a saúde, quantia levemente acima do mínimo estipulado pela lei do teto.

A despesa total com saúde em 2021 tende a passar esse número, como efeito dos gastos extras ocasionados pela pandemia de Covid-19. Contudo, o Tesouro Nacional diz que o número final se sujeita às informações a serem mandadas pelo Ministério da Saúde.

Ainda que o governo tenha proposto R$ 134,4 bilhões para a Saúde no ano que vem, valor levemente acima do gasto mínimo fixado na regra do teto de gastos, o Ministério da Economia afirma que o número poderá ser aumentado posteriormente.

As informações são do G1.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos