VEREADOR pede desculpas após se recusar a ser o 24º parlamentar a votar projeto da Linha Amarela

Felipe Grinberg
Marcelino D'Almeida (PP) pede desculpas após se recusar a ser o 24º parlamentar a votar projeto da Linha Amarela - 15.12.2016

O vereador Marcelino D'Almeida (PP) pediu desculpas após se recusar a ser o 24º parlamentar a votar no projeto que autorizou a encampação da Linha Amarela. Ele afirmou que sua decisão foi para conseguir destacar seu voto, e negou que tenha tido uma atitude homofóbica.—  Estava em uma tensão desde as 10 horas da manhã por causa da votação. Como foi voto nominal queria destacar o meu. Estava sentado, ouvi chamarem meu nome e fiquei em silêncio. Tenho uma longa carreira política e nunca tive uma situação de preconceito. Quem me conhece sabe. A quem tenha se sentido ofendido eu peço desculpas, não foi algo intencional — contou o vereador ao GLOBO, destacando que já votou em projetos contra o racismo.Ele foi o único, dos 47 vereadores a votar o projeto na segunda chamada. Após sinalizar seu "sim", o vereador fez um sinal para os céus. A votação nominal foi conduzida por Rogério Rocal (PTB), que logo após o "sim" ou "não" dos vereadores, dizia o nome e a quantidade de votos.  Como 23 vereadores já haviam votado a favor da proposta, Rocal iria dizer o nome de Marcelino atrelado ao número 24.Marcelino ainda afirmou que amanhã pedirá desculpas formalmente no plenário, já que hoje não houve sessão à tarde. O vereador também pediu desculpas à Fernando Willian (PDT), presidente do Conselho de Ética da Câmara. Willian orientará os vereadores a não cometerem atitudes parecidas:— Foi um erro que não pode se repetir. Ele já pediu desculpas. Aqui é uma casa plural e não há espaço para algumas atitudes e temos que combate-las — contou o vereador.