Vereadora que homenageou policial acusado de agredir a companheira diz que vai revogar moção: 'É um monstro'

Responsável por uma homenagem na Câmara de Vereadores do Rio ao policial civil Marcos André de Oliveira dos Santos, Verônica Costa (PL) afirmou que está estudando com sua equipe jurídica e técnica uma maneira de revogar a moção tão logo o recesso parlamentar chegue ao fim. O agente, de 50 anos, é réu na Justiça do Rio por lesão corporal, injúria, ameaça e violência psicológica contra uma ex-companheira, uma advogada de 29 anos. Na época das denúncias, Marcos era chefe de investigação na Delegacia de Proteção à Mulher (Deam) de Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio.

— Antes de mais nada, quero me solidarizar com a vítima. Ele é um monstro e merece o meu repúdio. Ele deveria ser exemplo de acolhimento. Se dentro de casa ele é assim, imagine quantas mulheres passaram pelas Deams que ele atendia voltaram sem resolver a situação? Sempre lutei e luto em defesa das mulheres — afirmou a vereadora.

A homenagem na Câmara foi formalizada em outubro do ano passado. O caso veio à tona no início desta semana, quando o EXTRA revelou que Marcos André havia sido denunciado pelo Ministério Público, após investigação feita pela Corregedoria da Polícia civil, sendo transferido para uma função administrativa em outra delegacia em meio às apurações.

— Eu jamais, de maneira nenhuma, entregaria uma moção para um agressor. E, ainda mais, um agressor de mulher. Fiquei muito triste quando soube disso tudo. Mas eu, enquanto mulher, estou à dispoção da vítima para dar toda a cobertura. Vou acompanhar a moça no que puder e ela quiser — prometeu Verônica Costa.

A moção de louvor "pelos serviços prestados" destaca que Marcos André "se destaca pela seriedade, abnegação e carinho que conduz seu trabalho". À época da honraria, o policial estava lotado na Deam de Campo Grande, também na Zona Oeste. Verônica Costa destacou na ocasião que o agente 'rege seus afazeres com ética e determinação, à frente de seus objetivos profissionais, levando como norte o princípio da cidadania em todas as suas batalhas".

O texto afirma ainda que "reconhecidamente, de forma eficiente e solidária aos cidadãos, este profissional, sem sombras de dúvidas, é uma pessoa ímpar e de extrema relevância em todo seu ambiente de trabalho". "Profissional zeloso e incansável nas horas de labuta diária, cumprindo sua missão com dignidade e respeito ao ser humano", concuiu a vereadora na homenagem.

O advogado Márcio Alexandre dos Santos, que representa o policial, vem afirmando que seu cliente tem provas de que não cometeu crime algum. Já a Polícia Civil informou que um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) contra Marcos André foi aberto. O prazo para concluir o PAD é de 180 dias, e as punições vão de suspensão até a demissão do servidor.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos