Vereadores entram em recesso de 61 dias sem votar projetos considerados importantes para a Prefeitura

Lucas Altino

RIO - Em um ano marcado por crises políticas e até um processo de impeachment do prefeito, muitos projetos relevantes para a prefeitura não foram votados na Câmara Municipal do Rio. Nesta segunda, a casa teve sua última sessão, e agora serão mais 61 dias até o retorno dos trabalhos, dia 15 de fevereiro. Assim, o prefeito Marcelo Crivella terá que esperar para tentar aprovar pautas relevantes para suas pretensões políticas, como autorização de construções em áreas especiais da cidade e a transformação de garis em funcionários estatutários.

Desde o início do ano, o Poder Executivo enviou 52 mensagens para a Câmara, desde projetos de lei, ementas a pedidos de urgência em tramitações. Ao final, foram 12 projetos ou ementas aprovados. Entre eles, a autorização para encampação da Linha Amarela, o adicional de servidores municipais e criação de conselhos fundos, como o Conselho Municipal do Trabalho, Emprego e Renda.