Vereadores paulistanos batem boca via Whatsapp após pedido de soltura

ARTUR RODRIGUES

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A possibilidade de soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva gerou bate-boca entre vereadores no grupo de WhatsApp da Câmara Municipal de São Paulo.

A confusão começou quando o petista Arselino Tatto comemorou a decisão inicial do o desembargador plantonista Rogério Favreto, do TRF-4.

O vereador e membro do MBL (Movimento Brasil Livre), Fernando Holiday (DEM), respondeu com uma notícia sobre manifestação do juiz Sérgio Moro, afirmando que não cumpriria a decisão. "Não tão cedo", escreveu Holiday.

O também petista Alfredinho respondeu com um "fica quieto". Arselino subiu o tom: "Quebro você no meio!". Holiday disse que ambos estavam estressados. O clima só esfriou com a intervenção do presidente da Câmara, Milton Leite (DEM). "Vamos manter o respeito mútuo", afirmou.

Os vereadores encerraram a discussão em tom de brincadeira, com Holiday dizendo "somos amigos do bem". O petista afirmando a Leite: "Ok, presidente, você é meu brother".