Vereadores querem nome de Bruno Covas no Anhangabaú, no parque Augusta e na avenida dos Bandeirantes

·3 minuto de leitura
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 01.01.2021 - Cerimônia de posse dos 55 vereadores e do prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas, realizada no plenário da Câmara Municipal de São Paulo. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 01.01.2021 - Cerimônia de posse dos 55 vereadores e do prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas, realizada no plenário da Câmara Municipal de São Paulo. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Vereadores da Câmara Municipal de São Paulo entraram em uma espécie de corrida para homenagear o ex-prefeito Bruno Covas, morto neste ano em decorrência de um câncer.

Três propostas para incluir o nome de Covas em locais da cidade foram aprovadas em primeiro turno nesta quarta (14), mas ainda deverão ser discutidas novamente. Há alguns vereadores incomodados com o excesso de homenagens.

O parque linear de 17 quilômetros que está sendo implantado nas margens do rio Pinheiros, em São Paulo, já deverá se chamar Bruno Covas, conforme anúncio do governador João Doria (PSDB).

Nesta quarta, os vereadores aprovaram o projeto do vereador Rodrigo Goulart (PSD), que prevê que o futuro parque Augusta se chame Parque Augusta - Prefeito Bruno Covas.

Em seguida, foi aprovado outro projeto, este de Camilo Cristófaro (PSB), para que o Anhangabaú passe a se chamar Vale do Anhangabaú Prefeito Bruno Covas.

Na mesma sessão, em que estavam sendo aprovados vários projetos de vereadores, também passou a proposta de Marcelo Messias (MDB) para incluir Covas na denominação da avenida dos Bandeirantes.

"Me parece um pouco exacerbado, e talvez seria o caso de haver a convergência entre as tentativas de homenagem, que eu respeito e considero válidas, para que haja uma única denominação até por uma questão de não haver confusão para o munícipe", disse Rubinho Nunes (PSL).

Carlos Bezerra (PSDB), que presidiu a sessão, também propôs a possibilidade de adiar os projetos para que os vereadores entrassem em acordo. No fim, as três proposições foram aprovadas em primeiro turno.

"Votarei favorável nas três propostas que estão aqui hoje e aí sim a gente vai buscar o entendimento em segunda votação", disse Goulart.

O projeto de Goulart, por exemplo, enfrenta resistência, uma vez que a criação do parque é resultado da pressão de ativistas.

"Quem acompanhou a luta do parque Augusta sabe o quanto foi duro. Eles ocuparam lá, foi policiais, levaram gente presa, então a luta foi árdua para agora a gente chegar e botar o nome do parque sem a discussão com o pessoal do movimento. Então, não é um demérito ao ex-prefeito Bruno Covas", disse Toninho Véspoli (PSOL), que votou contrariamente ao projeto.

Cristófaro defendeu as propostas. "Nós deveríamos então tirar da cidade de São Paulo as dezenas de ruas de governador Laudo Natel, governador Mario Covas e de outras pessoas que marcaram a história dessa cidade", disse.

Ele ofereceu, no entanto, a possibilidade de que Goulart pudesse assinar junto com ele o projeto relacionado ao Anhangabaú.

Já o projeto relacionado à avenida dos Bandeirantes teve oposição da vereadora Luana Alves, do PSOL, que acha que indígenas deveriam ser homenageados.

"A avenida dos Bandeirantes de fato tem que ter o nome modificado. É um nome ruim. Mas para nós é importante mudar para colocar como o nome Bandeirantes é ruim e fere o povo brasileiro. Queremos a mudança do nome da avenida, não para o nome de uma figura, mas em homenagem, se for possível, aos povos indígenas que construíram esse país", disse.

Jair Tatto, do PT, afirmou que já há propostas para mudar o nome da avenida Vinte Três de Maio para Bruno Covas também. "Eu acho que está começando a ficar exagerada as coisas [sic], com todo o respeito ao ser humano que foi o ser humano Bruno Covas. E digo mais, com todo respeito ao vereador Goulart, está começando a virar uma média", disse.

As homenagens deverão ser rediscutidas na votação em segundo turno, com vários vereadores trabalhando para que haja acordo para apenas uma delas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos