Vereadores do Rio rejeitam pedido de impeachment de Marcelo Crivella

Equipe HuffPost
Pedido de impeachment contra Crivella foi rejeitado por 29 votos contra 16.

Em sessão extraordinária, no meio do recesso, a Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro decidiu enterrar o pedido de impeachment contra o prefeito Marcelo Crivella (PRB). Foram 29 votos favoráveis a rejeitar o pedido e 16 contra.

O bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus foi denunciado por infração político-administrativa e crime de responsabilidade por suposto favorecimento a igrejas evangélicas, pastores e féis.

Áudios publicados pela reportagem do jornal O Globo no último dia 5 mostram o prefeito oferecendo ajuda a líderes religiosos para conseguir, para os fiéis, agilidade na realização de cirurgias de catarata e varizes, entre outras facilidades.

Na gravação, ele afirma a lideranças evangélicas que é preciso "aproveitar que Deus nos deu a oportunidade de estar na prefeitura para esses processos andarem". "Nós estamos fazendo o mutirão da catarata. (...) Então, se os irmãos tiverem alguém na igreja com problema de catarata, se os irmãos conhecerem alguém, por favor falem com a Márcia [assessora do prefeito]", disse Crivella aos pastores.

A mesma oferta foi feita para cirurgias de varizes: "Também, por favor, falem com a Márcia". Todas as declarações foram gravadas.

O prefeito nega favorecimento às igrejas e diz que o objetivo da reunião foi prestar contas e divulgar programas da gestão.

Ofensiva

A votação ocorreu em clima tenso. Manifestantes pró e contra o prefeito ocuparam as galerias da Câmara. Segundo relatos do G1, houve empurra-empurra entre os dois grupos.

O prefeito, no entanto, sofreu um revés do Tribunal de Contas do Municípios. O órgão decidiu votar as contas de 2017 e deu prazo de 30 dias para Crivella apresentar documentos sobre os gastos. Análise sobre as contas constatou déficit de R$ 1,6 bilhão.

LEIA MAIS

  • ...

Continue a ler no HuffPost