"Vergonha é roubar": Pessoas cercam lixo em busca de comida em BH

·2 minuto de leitura
Pessoas em busca de comida cercam lixo de supermercado em Belo Horizonte
Pessoas em busca de comida cercam lixo de supermercado em Belo Horizonte
  • Um grupo de pessoas procura comida em meio ao lixo de um supermercado em Belo Horizonte

  • No Brasil, 14,5 milhões de famílias registradas no CadÚnico vivem em extrema pobreza

  • Cerca de 68 mil famílias de Belo Horizonte sobrevivem com menos de R$ 89 por pessoa mensalmente

No Brasil, 14,5 milhões de famílias registradas no CadÚnico (Cadastro Único do governo federal) vivem em extrema pobreza. Na última sexta-feira (8), um exemplo de como a miséria avança no país ocorreu na porta de um supermercado em Belo Horizonte.

A reportagem da TV Globo flagrou um grupo de pessoas esperando que o lixo fosse colocado na calçada. Os caixotes foram rapidamente cercados por homens e mulheres em busca de algo para aproveitar.

Leia também:

"Dá para selecionar. Tem muita coisa boa que a gente pega. Sou aposentada, mas o salário não dá", disse ao portal G1 Selma Natividade Ferreira, uma das mulheres à procura de comida. "Eu pego melancia porque dão, volto em casa. Tomo banho, janto, vejo novela e volto para cá às onze da noite. Eu espero o caminhão até às 3h", contou a aposentada.

Com a chegada do caminhão de lixo, a busca pela comida começa. "Dói ver né? A gente chega a selecionar lá dentro o que dá para deixar eles pegarem. A situação está difícil para todo mundo e a gente tem que entender a situação", falou ao G1 o coletor Leandro dos Santos Jesus.

Hortaliças e frutas são escolhidas com cuidado em em meio ao lixo. Muitas famílias só têm esta opção para se alimentar.

"Vergonha é roubar, pedir e esperar, não é vergonha. É a forma de colocar fruta, verdura e legumes na mesa lá de casa. Já teve dia de eu voltar sem nada para casa", disse ao G1 a empregada doméstica Maria Clívia Vasconcelos Sousa, mãe de duas filhas.

Segundo a Prefeitura de Belo Horizonte, cerca de 68 mil famílias da capital mineira sobrevivem com menos de R$ 89 por pessoa mensalmente. Outras 16 mil, tem renda per capita mensal entre R$ 89,01 e R$ 178.

De janeiro a abril deste ano, cerca de 10 mil pessoas cruzaram a linha da pobreza ou da pobreza extrema.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos