#Verificamos: É falso que Cedae alertou moradores do Rio para não beberem água da torneira ou do filtro

Água ofertada pela Cedae no Rio. (Foto: Reprodução/Twitter)

por Maurício Moraes

Circula nas redes sociais um post com a afirmação de que a Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae) emitiu um alerta urgente, pedindo para os moradores da região metropolitana do Rio não consumirem “água da torneira ou do filtro”. De acordo com o texto, que teria sido enviado pelo grupo de médicos do Hospital Samaritano, nem mesmo galões de 20 litros são confiáveis. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da ​Lupa​:

(Foto: Reprodução)

“ALERTA RJ

Enviado pelo grupo de médicos do Samaritano.

A Cedae emitiu um alerta URGENTE. NINGUÉM deve consumir água da torneira nem do filtro, só fervida e mineral de marca boa. Tão pouco (sic) as de galão de 20 litros sem procedência certa. Comprar somente água de garrafa marca conhecida. Contaminação na água, e os hospitais estão lotados de gente passando mal. Tem gente que a água está com cheiro de esgoto. Passem um alerta por todo grande Rio”

Texto de post no Facebook que, até as 13h de 14 de janeiro de 2020, tinha 41 compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. A Cedae informou, por meio de um comunicado divulgado em suas redes sociais, que jamais fez esse alerta. “A Cedae informa que, de acordo com as últimas análises feitas pela companhia, a água fornecida está própria para o consumo. Ao longo do sistema, porém, ainda pode apresentar gosto e cheiro alterados em alguns locais, sem risco à saúde dos consumidores”, diz o texto. Em nota, a direção dos Hospitais Samaritano Botafogo e Barra da Tijuca afirmou que não emitiu qualquer tipo de alerta sobre a qualidade da água no Rio de Janeiro.

Desde o início do ano, moradores de algumas regiões da capital fluminense têm reclamado do gosto ruim e da turbidez na água distribuída pela Cedae. A empresa afirmou que seus técnicos detectaram a presença de uma substância orgânica, a geosmina, em algumas amostras. A substância é produzida por bactérias presentes nos mananciais. Segundo a empresa, ela não representa risco para o consumo e a água distribuída segue todos os parâmetros de qualidade determinados pelo Ministério da Saúde. 

Ainda não foram produzidas, no entanto, análises independentes de amostras. A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) informou que em breve vai produzir uma nota oficial sobre a qualidade da água da Cedae. A professora titular da UFRJ Sandra Azevedo também alertou, em entrevista para o jornal O Globo, que a geosmina não provoca turbidez da água. Somente testes com amostras colhidas na tubulação da companhia podem identificar a causa do problema.

Uma versão semelhante desta checagem foi feita por Boatos.org e Aos Fatos.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.