Veste Rio: bons negócios na volta da versão presencial

·1 min de leitura

A 11ª edição do Veste Rio, que terminou no último sábado, mostrou que, assim como na vida, a união faz a força na moda. Depois de duas versões digitais por causa da pandemia da Covid-19, o Salão de Negócios voltou a ser presencial, no Centro de Eventos VillageMall, e recebeu 41 grandes marcas que mostraram suas coleções de inverno 2022 e linhas resort para 350 compradores de todo o país.

Na quinta-feira de manhã, o talk com a participação da editora-chefe da ELA, Marina Caruso, a diretora de conteúdo da Vogue Brasil, Paula Merlo, e a estilista Alessa Migani, deu a partida. Marina ressaltou a relevância desta edição. "Depois de o mundo da moda ter sofrido tanto em um ano e oito meses, é muito importante", afirma Marina.

No Salão de Negócios, estavam nomes cariocas, como o coletivo Carandaí 25, com 15 etiquetas, propostas inovadoras, como a do Studio La Collect, que apresentou um serviço de assinatura de conteúdo digital, e marcas nacionais, como a paulistana Serpui. "Foi muito bom participar pela primeira vez", diz Serpui Marie.

Outra novidade foi o espaço da Invest.Rio, ocupado por ONGs e projetos Sociais selecionados pelo Veste Rio — Coopa-Roca, Nós do Crochê, Pipa Social e Lab Cria.

O Veste Rio é realizado pelas revistas ELA e Vogue Brasil, com apresentação do Santander, patrocínio da Invest.Rio, parceria do VillageMall. Tem a Azul como cia aérea oficial e Hotéis Windsor como hotel oficial do evento.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos