Vestido de dinossauro, médico abraça filho que não via há 35 dias devido à pandemia

Louise Queiroga

Trinta e cinco dias longe da família fez a saudade do médico mineiro Juan Lambert se concretizar numa fantasia de dinossauro para que pudesse, enfim, dar um abraço no filho Lucca, de 4 anos. A cena foi registrada em vídeo e publicada por ele nas redes sociais no último sábado. Desde então, vem comovendo internautas e tornou-se notícia em diversos portais.

— Como eu estava há 35 dias sem ver o meu filho, eu queria comprar algum brinquedo para ele de dinossauro, que é o animal que ele mais gosta. Ele fala que é assustador, mas adora. Eu acabei encontrando a fantasia de dinossauro pela internet, comprei e ela chegou. Testei e ficou legal e aí eu comentei com a mãe dele, que está isolada na casa dos pais, ela está lá faz 39 dias e está grávida de 5 meses. Está ela, o Lucca e os pais dela. Eu estou trabalhando no hospital direto — relatou o médico ao EXTRA na noite desta quarta-feira.

A repercussão daquele momento íntimo da família surpreendeu a mulher do médico e mãe do menino, Maryane Monter, que contou ter ficado "assustada" num primeiro momento.

— Não esperávamos que (o vídeo) tivesse toda essa repercussão que está tendo! Achamos uma forma de rever o “papai” e gravamos o vídeo do encontro para guardar de lembrança. Ele acabou postando nas redes sociais dele e viralizou! — disse ela, em meio a risadas.

O menino está com a mãe na cidade de Caraguatatuba, a 29 quilômetros do Hospital de Clínicas de São Sebastião, também em São Paulo, onde Juan trabalha no combate ao novo coronavírus.

"35 dias sem ver minha família", postou Juan nas redes. "Tive que dar um jeito. Não tava aguentando mais de saudade. Surpresa pro Lucca; Papainossauro", explicou.

— Eu estava morrendo de saudade dele. É difícil ficar longe do filho, principalmente nesse momento de pandemia, em que o estresse está muito elevado por motivos óbvios. A família recupera as energias. Ela longe piora a situação. Foi um jeito que achei de não colocá-los em risco e de poder abraçá-lo. Não deu para sentir o cheirinho dele, que é muito gostoso, mas pelo menos abraçar consegui. E ele também tem uma noção muito boa de realidade. Ele perguntou: "Pai, posso te abraçar?" e eu falei: "Pode, Lucca, o pai está protegido aqui. Foi bem emocionante — afirmou Juan.

Nas imagens, é possível ouvir uma voz incentivando Lucca a se aproximar do portão da casa para que pudesse ver quem estava chegando. Animando, ele foi correndo, mas ao perceber que um aparente desconhecido vestido de dinossauro estava próximo, vindo com rapidez em sua direção, o menino ficou assustado e voltou para os braços da mãe. Somente após perceber que aquele era, na verdade, seu pai, o semblante da criança mudou quase que instantaneamente, para então esboçar um sorriso.

— Ao meu ver, a maior dificuldade disso tudo não é o trabalho intenso, porque na profissão de médico você fica acostumado com o trabalho intenso. A parte mais difícil é ficar longe da família, que dá a energia, o gás, que renova todo dia a vontade de trabalhar, de resolver. E é muito difícil ficar longe deles, com certeza, essa é a parte mais difícil — ressaltou Juan.

No início do período de isolamento social, Maryane já havia publicado no Instagram que o filho estava ciente sobre o trabalho do pai na linha de frente contra o coronavírus. Ela ressaltou que Lucca sente orgulho da profissão de Juan.

"Ficaremos de quarentena, sem ver o Papai, sabe-se lá por quanto tempo! Lucca fala orgulhoso: Meu pai está no hospital, matando 'os coronas Bírus' (sim, Bírus)", escrevera ela em uma publicação.