Vetos de Bolsonaro serão votados pelo Congresso só em 2021

Isabella Macedo
·1 minuto de leitura
Jorge William / Agência O Globo

BRASÍLIA — A negociação que permitiu a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2021 incluiu deixar para o ano que vem mais de 20 vetos presidenciais que atualmente estão trancando a pauta. Sem acordo entre o governo e os parlamentares sobre alguns destes vetos, o presidente do Congresso, Davi Alcolumbre (DEM-AP), decidiu encerrar o ano sem enfrentar temas importantes, como anistia de dívidas de igrejas, mudanças na lei do saneamento e pontos do pacote anticrime.

Pelo regimento interno, nenhuma outra matéria poderia ser votada em sessão do Congresso antes da análise de 22 vetos do presidente Jair Bolsonaro. Por causa da pandemia, as reuniões do Congresso deixaram de ser presenciais e cada Casa vota separadamente, gerando assim uma brecha: uma vez que as reuniões não são “conjuntas” no plenário, entendeu-se que matérias orçamentárias poderiam furar a fila.

Íntegra: Leia a matéria exclusiva para assinantes