Viúva de Chorão emociona ao fazer homenagem ao cantor: 'Viver com as lições que a perda dele me ensinou'

1 / 1

Screenshot_12.png

Graziela Gonçalves e Chorão, em foto no início do namoro

Viúva do Chorão, Graziela Gonçalves usou as redes sociais nesta sexta-feira, dia 6, para relembrar os sete anos da morte do cantor. "Pra mim, hoje, honrar a memória do Alê é viver com as lições que a perda dele me ensinou. Sim, se tem uma coisa que perder alguém que você ama te ensina é olhar a vida (e nós mesmos) de uma outra maneira, mais profunda, mais generosa, e com sorte, com um pouco mais de sabedoria e compaixão", destacou Grazi.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

E nos siga no Google News: Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

Leia na íntegra o texto da publicação:

"Hoje... 7 anos. Uma volta de saturno, 2.555 dias... Hoje eu escolho, e convido a todos, a mudar as perspectivas. Em vez de lamentos, tristeza e inconformismo qual seria a melhor maneira de honrar a passagem de alguém importante nas nossas vidas? Pra mim, hoje, honrar a memória do Alê é viver com as liçoes que a perda dele me ensinou. Sim, se tem uma coisa que perder alguém que você ama te ensina é olhar a vida (e nós mesmos) de uma outra maneira, mais profunda, mais generosa, e com sorte, com um pouco mais de sabedoria e compaixão. Afinal de contas nós permanecemos, nós continuamos aqui para viver as experiências que a vida nos apresenta pro nosso crescimento e evolução. Sei muito bem que pra quem passa por isso é difícil escolher não se fechar. A dor da perda é algo que temos que processar internamente, e cada um faz isso da sua maneira. Só eu sei do tempo que eu precisei. Mas quando essa dor começa a ser equalizada, aprendi a não permitir que algo que não posso mudar interfira nas escolhas que, sim, podemos fazer a cada minuto da vida que continua à frente. Se eu puder dar um conselho, a partir da minha própria experiência, é siga acreditando loucamente nas razões do universo e viva intensamente no propósito de tirar o melhor do seu tempo por aqui. E a gente só consegue fazer isso vivendo, aproveitando todas as oportunidades que a vida nos dá o tempo todo de escolher nosso caminho. Essa é a maneira que eu escolho como honrar tudo o que eu vivi e tudo que eu troquei com ele.
Em vez de lamentar, hoje celebro o privilégio de ter vivido tudo que vivi, celebro todo o amor que ele espalhou no planeta, celebro a sua obra maravilhosa que continua encantando tanta gente, celebro todo o sentimento de gratidão que sinto por tudo. Hoje tenho a certeza de que isso sim é eterno."

Leia também

Nos comentários da publicação, seguidores de Grazi dão apoio. "Grazi, chorei aqui! Que em seu coração continuem as lembranças mais bonitas! Ressignificar não deve ser fácil, mas é lindo ver essa transformação em você! Obrigada por dividir essa história linda com a gente!", comentou uma seguidora.

Livro da viúva traça biografia do cantor

Em 2018, Graziela publicou o livro 'Se não eu, quem vai fazer você feliz?', uma biografia do perfil do cantor pelo olhar da companheira. No livro, ela cita possíveis motivos que levaram o vocalista do Charlie Brown Jr. à depressão e explicita a relação do artista com a dependência química, em que o marido vivia um período de extrema angústia e não conseguia recuperar sua autoestima profissional. Chorão morreu aos 42 anos, em 2013, em decorrência de uma overdose em cocaína.