Viúva de MC Kevin não forneceu à polícia senha de celular apreendido

·2 minuto de leitura

Viúva do cantor Kevin Nascimento Bueno, o MC Kevin, a advogada criminalista Deolane Bezerra não forneceu a senha de seu celular ao delegado Henrique Damasceno, titular da 16ª DP (Barra da Tijuca). O aparelho foi apreendido na segunda-feira (17), durante os depoimentos prestados por ela como testemunha no inquérito da delegacia que apura a morte do funkeiro, ocorrida no último domingo. Por lei, ninguém é obrigado a entregar equipamentos eletrônicos desbloqueados à polícia.

Deolane estava na suíte 1302 de um hotel na orla da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio — onde se hospedara com Kevin — quando o cantor caiu da varanda do apartamento 502. No local, o artista estaria tendo relações sexuais com a modelo fitness Bianca Domingues. Eles se conheceram cerca de uma hora antes em um quiosque do calçadão da praia, quando o funkeiro estava acompanhado pelo também MC Victor Elias Fontenelle e outros amigos.

Leia também:

Kevin e Victor decidiram então ir para o hotel e fazer sexo com Bianca. Em um momento, receoso de que Deolane — que o procurava por mensagens e ligações — chegaria e o flagraria, o funkeiro decidiu tentar pular para o quarto de baixo pela sacada. Ele caiu de uma altura de aproximadamente 18 metros próximo à piscina do hotel. Socorrido por equipes do Corpo de Bombeiros, o jovem foi levado ao Hospital municipal Miguel Couto, na Gávea, na Zona Sul, mas não resistiu aos ferimentos.

Além da modelo, da advogada e do MC Victor, prestaram depoimentos pelo menos mais cinco pessoas, entre amigos e homens que trabalham na equipe da produção de shows de Kevin. Um exame toxicológico no corpo do artista foi solicitado a profissionais do Instituto Médico Legal (IML). Uma perícia também foi realizada pelo Instituto Carlos Éboli no hotel.

Kevin havia se apresentado, na véspera de sua morte, em uma boate na Zona Norte do Rio e depois participou de uma festa na casa de outro funkeiro, na Barra.