"Vi meu filho ensanguentado"; diz mãe de jovem morto após ser atropelado por modelo

Após ser atropelado por modelo, adolescente foi levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, no Rio de Janeiro, onde passou por uma cirurgia e não resistiu.
Após ser atropelado por modelo, adolescente foi levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, no Rio de Janeiro, onde passou por uma cirurgia e não resistiu.

Mariana Cardim de Lima, mãe do adolescente João Gabriel Cardim Guimarães de 16 anos, morto após ser atropelado por Bruno Krupp, relatou ao Fantástico, que foi ao ar neste domingo (7), na TV Globo, sobre as cenas que ficaram registradas em sua memória do acidente que tirou a vida de seu filho no dia 31 de julho.

“Eu vi a perna dele voando, vi meu filho estendido no chão, ensanguentado”, relembrou Mariana.

De acordo com ela, os dois decidiram atravessar a pista e olharam para garantir que nenhum veículo estava vindo. Sem nenhum perigo identificado, eles continuaram caminhando.

“Não tinha nenhuma projeção de nada perto da gente, mas em segundos a moto estava em cima dele, e aí eu já perdi a noção do que que eu estava vendo”, relatou.

Que em seguida viu o filho no chão pedindo por socorro.

“Eu vi a perna dele voando, eu vi o meu filho estendido no chão, ensanguentado, com o olho arregalado, apavorado, me pedindo socorro. Eu comecei a gritar e pedir ajuda a todo mundo”, contou Mariana.

O adolescente após ser atropelado foi levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, no Rio de Janeiro, onde passou por uma cirurgia e não resistiu.

Krupp está preso preventivamente na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, e responde por dolo eventual.

A mãe de João Gabriel disse que não guarda rancor do responsável pela morte do filho e afirmou que se despediu de João Gabriel “diante do mar”.

“Foi inevitável para mim acompanhar isso tudo e ver o quanto as pessoas têm ódio e rancor e raiva desse rapaz. E eu, por incrível que pareça, eu não estou com ódio desse rapaz, eu não tenho rancor. Eu desejo que ele olhe para dentro dele mesmo”, afirmou a mãe de João Gabriel.

Mariana concluiu, muito emocionada, como foi a despedida do filho.

“Foi diante do mar que eu tive que me despedir do meu filho”.

O caso

Bruno pilotava uma moto sem placa a 150 km/h na noite do dia 30 de julho, quando atropelou o adolescente João Gabriel Cardim Guimarães, de 16 anos, na Barra da Tijuca. Ele não tinha habilitação e os dois foram levados para um hospital na região. A vítima, que teve a perna amputada durante o acidente, morreu na sala cirúrgica.

Bruno teve alta e saiu andando da unidade de saúde. Em seguida, o modelo deu entrada em outro hospital, onde ficou internado até a última sexta-feira (6). Krupp foi conduzido à prisão logo após receber alta do hospital.