Via informa que todas as suas operações de crédito a fornecedores estão demonstradas corretamente no balanço

A Via, varejista dona das marcas Casas Bahia e Ponto, informou nesta sexta-feira em comunicado ao mercado que suas operações de “risco sacado” estão demonstradas em “conformidade com normas internacionais de contabilidade”.

Entenda a crise: Como R$ 20 bi 'sumiram' do balanço da Americanas? Por que o CEO renunciou?

Crise na Americanas: Entregas vão atrasar? Cashback do Ame pode mudar? Como fica o BBB?

Risco sacado é o tipo de operação realizada pela Americanas que está na origem das discrepâncias de R$ 20 bilhões nos resultados da empresa reveladas pelo seu agora ex-CEO Sergio Rial na última quarta-feira.

É uma modalidade de crédito muito comum entre varejistas, usado para financiar seus fornecedores, que recebem o dinheiro enquanto a empresa (no caso, a Americanas), fica com a incumbência de pagar os bancos.

As ações da Via caíram 5,38% na quinta-feira no rastro da crise da Americanas.

Efeito no mercado: Americanas perde R$ 8 bi em valor de mercado em um só dia. Ações despencam 77% após revelação de rombo bilionário

A empresa, que passou recentemente por um episódio de fraude em seu balanço, informou que as operações de risco sacado são informadas no balanço como “fornecedores convênio”, com detalhes sobre taxa de juros descritos. E, ainda, que os gastos com juros decorrentes dessas operações são explicitadas como despesas financeiras nos documentos contábeis da empresa.

Em 2019, a Via divulgou ter encontrado fraudes contábeis no seu balanço com impacto estimado em R$ 1,4 bilhão, após ter recebido denúncias anônimas sobre o caso. As denúncias surgiram quando a varejista passava por uma transição em seu comando.