Via Varejo encontra indícios de fraude em balanço e impacto pode chegar a R$1,4 bilhão

Loja das Casas Bahia em Copacabana, Zona Sul do Rio

RIO - Em comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Via Varejo, dona das Casas Bahia e Ponto Frio, anunciou que encontrou indícios de fraude contábil em seu balanço. O impacto no seu resultado financiero do quarto trimestre será de até R$ 1,4 bilhão. Após receber denúncias anônimas em novembro, a companhia iniciou uma investigação interna. As ações da companhia fecharam em queda 3,1% na Bolsa de Valores (B3).

Segundo a empresa, o patrimônio líquido ainda terá impacto entre R$ 800 milhões e R$ 940 milhões. Segundo a Via Varejo, o efeito no caixa da companhia vai durar de três a quatro ano. As denúncias surgiram quando a varejista passava por uma transição em seu comando, após a volta da família de Michael Klein, fundador das Casas Bahia, ao controle da companhia, há cinco meses.

“A administração avalia que os ajustes descritos acima não impactarão de maneira adversa e relevante seu fluxo de caixa, sua condição financeira e operacional ou sua capacidade de honrar compromissos”, afirmou a empresa, informando que iniciou uma terceira fase da investigação, mas não estimou quando poderá ser concluída.

No terceiro trimestre, a Via Varejo teve prejuízo de R$244 milhões. Dentro das análises realizadas pela gestão que assumiu o comando da empresa em meados deste ano, a Via Varejo também afirmou que encontrou créditos fiscais de cerca de R$ 600 milhões referentes a PIS/Cofins e ICMS que estão sob avaliação de auditores independentes da empresa, dona das bandeiras Ponto Frio e Casas Bahia.