Vibra quer elevar cabotagem de biodiesel ao Nordeste em até 20% neste ano; reduz custos

Amostra de biodiesel à base de óleo de soja em Chacabuco, Argentina

Por Nayara Figueiredo

SÃO PAULO (Reuters) - A Vibra Energia, maior distribuidora de combustíveis no país, espera aumentar entre 10% e 20% o volume de biodiesel transportado do Rio Grande do Sul ao Nordeste por cabotagem em 2022, após consolidar este tipo de operação no ano passado, reduzindo custos logísticos em relação ao modal rodoviário.

Em 2019, a Vibra realizou a primeira operação de cabotagem de biodiesel, pioneira na rota entre o polo produtor gaúcho e Pernambuco, e no ano passado enviou mais de 47,5 milhões de litros do biocombustível.

"Cabotagem é um modal que atende volumes maiores que o caminhão... em 2021, a operação com biodiesel gerou economia de 17 milhões de reais para a Vibra no nosso custo logístico. Isso nos traz competitividade", disse à Reuters o vice-presidente executivo de Operações, Logística e Sourcing, Marcelo Fernandes Bragança.

Neste ano, em torno de 17,6 milhões de litros de biodiesel já foram transportados desta forma pela companhia, em meio à demanda aquecida entre os consumidores do Nordeste.

Segundo Bragança, o impacto financeiro que estas operações devem trazer para a empresa em 2022 ainda não foi estimado, pois depende do comportamento dos preços dos combustíveis.

"Fazemos a comparação a cada transação, relacionando com a despesa que teríamos caso o mesmo volume fosse transportado por rodovia, como acontecia anteriormente", disse ele.

"Os preços dos combustíveis subiram, então o resultado em economia de custos também deve seguir crescendo", acrescentou.

Bragança conta que, antes da adoção da rota saindo pelo Rio Grande do Sul, a companhia fazia a aquisição do biocombustível --produzido em sua maioria à base de óleo de soja-- de indústrias do Centro-Oeste, e enviava aos consumidores nordestinos pelo modal rodoviário.

Agora, a Vibra calcula que um único navio com biodiesel faz a mesma entrega de 200 caminhões. Com a cabotagem, a companhia avalia que evitou 900 viagens rodoviárias de longa distância entre as regiões Centro-Oeste e Nordeste durante 2021.

"Na prática, a operação começa a economia de combustível já no transporte: um navio consome em média 287m³ de óleo combustível, já as 900 viagens de caminhão que seriam utilizadas anteriormente ao longo de 1 ano necessitavam 1.165m³ de diesel."

O executivo disse que há também um impacto ambiental vindo da diminuição nas emissões de carbono, visto que a operação de cabotagem resultou no ano passado em uma redução de 1.818 toneladas de CO2 equivalente (CO2e).

INCENTIVO

A cabotagem é a navegação entre portos de um mesmo país ou a distâncias pequenas, em águas costeiras. Bragança disse que em países continentais e com costa navegável muito grande, como os Estados Unidos, o uso deste modal para transporte de combustíveis já é comum.

No Brasil, o executivo vê tendência crescente e maior competitividade com um impulso adicional do BR do Mar, programa federal de estímulo à cabotagem.

"O BR do Mar trouxe algumas simplificações com a legislação de cabotagem no Brasil. Antes, para fazer cabotagem, era preciso uma embarcação somente com bandeira brasileira, o que não é muito comum", disse ele.

Agora, foi flexibilizado o afretamento de embarcações estrangeiras para serem usadas no transporte de cargas na cabotagem brasileira. A lei nº 14.301, sancionada em janeiro, reúne as medidas do programa que visa aumentar de 11% para 30% a participação desse meio de transporte na matriz logística nacional, segundo o Ministério da Infraestrutura.

"Isso permite fazer mais operações e melhorar custos quando se compara com o transporte rodoviário. A cabotagem já acontecia e você tinha uma baixa competição, agora vai aumentar", avaliou o executivo da Vibra.

Além do transporte de biodiesel, que se consolidou como uma rota de fluxo regular, a empresa também realiza operações pela costa para transporte de etanol e alguns derivados em volumes menores.

A Norsul, empresa de logística multimodal, criou uma rota para transporte de biodiesel da BSBios por meio de cabotagem, saindo do Porto de Paranaguá, no Paraná, em direção ao Porto de Suape, em Pernambuco, disseram as companhias na quarta-feira.

O trajeto durou cerca de 14 dias e marcou o início do fornecimento do biocombustível da BSBios para a região Nordeste. Ao todo, foram transportados 4 milhões de litros de biodiesel, que saíram da usina da BSBios em Marialva (PR) e serão fornecidos a três distribuidoras de combustíveis.

(Por Nayara Figueiredo)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos