Vice do 'BBB 22', PA deu entrevista para Pedro Bial como campeão mundial no revezamento 4x100; relembre

Paulo André é um menino de sorte, ou melhor, de raça! Consagrado vice-campeão do "Big Brother Brasil 22", o rapaz já sentiu o gostinho da vitória no esporte. Ao lado de Derick Souza, Jorge Vides e Rodrigo Nascimento, ele ganhou o título mundial de revezamento 4x100m no Japão. Na época, o quarteto foi convidado do "Conversa com o Bial".

Os rapazes conquistaram a medalha de ouro com uma diferença de apenas dois centésimos, no mesmo estádio em que a Seleção Brasileira recebeu o Pentacampeonato no Japão. Paulo André foi o último a pegar o bastão e cruzou a linha de chegada após disparar na frente dos chineses e americanos, que dominavam a prova.

"Foi lindo. Só de rever já arrepia. É difícil cair a ficha e digerir esse título", disse ele na entrevista.

Apesar da vitória, os quatro continuaram treinando pesado para as classificações individuais. No programa, Paulo André e Derick também falaram sobre outros atletas de suas famílias. A mãe de Derick foi recordista dos cem metros com barreira. O pai de PA, que hoje é seu técnico, também tinha um passado no atletismo.

"Meu pai foi atleta na década de 80. Ele foi campeão sulamericano, correu mundial miitar. Foi velocista assim como eu. Tem uma história genética", contou PA, que falou sobre o início da carreira: "Nasci em São Paulo, mas fui muito novo para o Espírito Santo. Na minha infância, minha característica sempre foi a velocidade. Era chamado de foguete, Relâmpago McQueen. No pique pega, pique esconde, era dfícil me pegar".

Rodrigo afirmou que eles ainda tão tinham tido tempo de aproveitar a conquista.

“A gente ainda não teve o tempo ideal para aproveitar. A gente ainda não conseguiu ver a família, os amigos, a gente está aproveitando o momento dando entrevista, vendo por rede social. Nem a gente assimilou a grandiosidade dessa conquista”, confessou Rodrigo.

Os velocistas também falaram sobre o início de suas carreiras. Antes de despontar para o esporte, Rodrigo chegou a trabalhar como office boy.

“Fui descoberto na escola através de jogos escolares. Tive a sorte do meu professor ser também o meu treinador. Conciliou uma coisa com a outra”, recordou.

Assim com Rodrigo, Jorge também inicialmente pensou em ser jogador de futebol.

“Fui fazer um teste de duas semanas no Fluminense e nesse meio tempo, minha irmã me inscreveu na competição escolar, sem eu saber. Na hora fiquei chateado, agora, agradeço. Eu fiquei em terceiro lugar no salto em altura e fui convidado para participar de um projeto”, relatou também Jorge.

Derick, morador de Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio, também começou com a bola antes de partir para a coridda.

"Comecei jogando futsal. Recebi uma ligação da professora me convidando para ir à competição de atletismo. Aceitei sem saber que minha mãe e meu pai tinham sido atletas", contou ele.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos