Vice dos EUA recebe vacina contra Covid-19 quando mortes no país superam 3 mil pelo 3º dia

Jeff Mason
·2 minuto de leitura
.

Por Jeff Mason

WASHINGTON (Reuters) - O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, recebeu sua vacina contra Covid-19 ao vivo na televisão nesta sexta-feira, uma tentativa de angariar apoio público às vacinações agora que as mortes de coronavírus passaram de três mil no país pelo terceiro dia consecutivo.

Pence, sua esposa, Karen, e o cirurgião-geral dos EUA, Jerome Adams, arregaçaram as mangas e receberam injeções, tornando-se as personalidades mais destacadas a serem vacinadas em público.

"Não senti nada. Bom trabalho", disse Pence, o líder da força-tarefa da Casa Branca de combate ao coronavírus.

Eles foram inoculados com a vacina desenvolvida pela Pfizer Inc e a parceira alemã BioNTech SE, que a Agência de Alimentos e Medicamentos (FDA) autorizou para uso emergencial na semana passada.

Também nesta sexta-feira, a FDA deve aprovar uma segunda vacina de uso emergencial, agora da Moderna Inc.

Depois de responder perguntas de rotina sobre sua saúde, os três receberam as injeções no Antigo Edifício Executivo do campus da Casa Branca.

Eles podem ser seguidos por um desfile de líderes políticos, parte de uma campanha para superar o ceticismo público a respeito da segurança das vacinas, que passaram por testes clínicos de larga escala e revisão científica.

Os ex-presidentes Bill Clinton, George W. Bush e Barack Obama se ofereceram para receber inoculações em público, e o presidente eleito, Joe Biden, que toma posse no dia 20 de janeiro, receberá a sua na semana que vem, disseram assessores.

Anthony Fauci, especialista em doenças infecciosas convidado para ser o principal conselheiro médico de Biden, disse que será vacinado assim que puder e que espera que as doses cheguem ao Instituto Nacional de Saúde (NIH).

"Torço para que isso seja nos próximos dias", disse Fauci no programa "Today" da rede NBC nesta sexta-feira.

Embora o presidente Donald Trump ainda não tenha endossado as mensagens sobre distanciamento social e uso de máscaras, incentivou as pessoas a se vacinarem e defendeu o programa governamental Operação Warp Speed, que promove o desenvolvimento e a distribuição de vacinas.

O número de vítimas fatais da Covid-19 no EUA já ultrapassa 311 mil pessoas.

Especialistas de saúde alertaram para um agravamento da crise neste inverno, já que as unidades de tratamento intensivo estão ficando cheias, os leitos hospitalares estão invadindo os corredores e as hospitalizações atingiram um novo recorde em cada um dos últimos 20 dias, aproximando-se de 114 mil na quinta-feira, segundo uma contagem da Reuters.

(Por Jeff Mason, Susan Heavey, Idrees Ali and Anurag Maan)