Vice-líder do governo indicado por Bolsonaro já atacou ministro do STF: “Lixo, canalha"

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Otoni de Paula ao lado de Bolsonaro - Foto: Reprodução/Redes Sociais
Otoni de Paula ao lado de Bolsonaro - Foto: Reprodução/Redes Sociais

O deputado Otoni de Paula (MDB-RJ) foi indicado nesta sexta-feira (22), pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), para ser vice-líder do governo na Câmara dos Deputados, a indicação foi publicada no Diário Oficial da União.

Segundo informações do portal G1, o deputado já tinha exercido a função na Câmara, mas deixou o cargo em 2020, depois de ataques ao ministro Alexandre de Moraes do Supremo Tribunal Federal (STF).

A nova indicação acontece um dia após Bolsonaro ter anunciado indulto ao deputado bolsonarista Daniel Silveira, condenado a oito anos de prisão e um pagamento de R$200 mil por ataques a ministros do STF, defender intervenção militar e atacar membros da corte.

> Entenda o que é indulto da graça, concedido por Bolsonaro ao deputado Daniel Silveira

Em 2021, atendendo um pedido da Procuradoria Geral da República (PGR), o ministro Alexandre de Moraes autorizou uma operação de busca e apreensão da Polícia Federal em endereços ligados ao deputado. Objetivo era apurar eventual crime de incitar a população por meio das redes sociais a praticar atos violentos contra a democracia e o Estado Democrático de Direito.

Otoni de Paula publicou vídeos em 2020 chamando o ministro de “lixo”, “tirano” e “canalha”, entre outras ofensas. A Justiça de São Paulo determinou que as redes sociais removessem as postagens feitas pelo deputado.

A PGR o denunciou ao STF por crimes de difamação, injúria e coação, o deputado também teria postado na época vídeos incitando manifestações caso o Senado não aprovasse um pedido de impeachment contra os ministros Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso.

O regimento interno da Câmara permite que Bolsonaro indique até 15 vice-líderes dentre os integrantes de partidos que apoiam o governo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos