Vice-premiê canadense sofre abuso verbal em Alberta; Trudeau chama incidente de tendência

Por Kanishka Singh

(Reuters) - O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, condenou neste domingo um abuso verbal contra sua vice-primeira-ministra e ministra das Finanças, Chrystia Freeland, descrito por ele como um "assédio extremamente perturbador" que não foi um incidente isolado.

"Estamos vendo cada vez mais pessoas na vida pública e pessoas em posições de responsabilidade, particularmente mulheres, canadenses racializados, minorias ou pessoas de diferentes grupos comunitários, sendo alvo quase que por causa da força crescente de suas vozes", disse Trudeau em um discurso neste domingo.

"Estamos vendo uma retaliação... Temos que nos perguntar que tipo de país somos, que tipo de país queremos ser."

No vídeo do incidente, compartilhado no Twitter na sexta-feira, Freeland se aproximava do elevador de um prédio da prefeitura em Grande Prairie, Alberta, quando um homem gritou com ela.

"Mas que porra você está fazendo em Alberta?" disse o homem enquanto Freeland caminhava em direção ao elevador. Ele também a chamou de "traidora" e "vadia do caralho". O vídeo acumula centenas de milhares de visualizações.

Freeland nasceu em Alberta e estava em um tour pela província para se encontrar com autoridades, empresas e trabalhadores.

Ela falou sobre o incidente em um tuíte no sábado. "O que aconteceu ontem foi errado. Ninguém, em nenhum lugar, deveria ter que aguentar ameaças e intimidações", escreveu Freeland no Twitter.

Políticos canadenses de todo o espectro político também condenaram o ataque verbal.

O incidente é o mais recente de uma série de ataques verbais contra mulheres na vida pública no Canadá, incluindo ativistas e jornalistas.

Um grupo de repórteres há semanas tem compartilhado publicamente uma série de e-mails privados e anônimos recebidos que contêm ameaças diretas de violência e agressão sexual, além de linguagem racista e misógina.

(Por Kanishka Singh)