Vice-presidente argentina Cristina Kirchner é ameaçada com arma por homem supostamente brasileiro

Vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, durante sessão do Congresso

BUENOS AIRES (Reuters) - A vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, foi ameaçada com uma arma de fogo por um agressor não identificado que supostamente seria brasileiro na noite desta quinta-feira, de acordo cm a polícia e com imagens de televisão, que mostraram que ela permaneceu ilesa, pois não foram disparados tiros.

O incidente ocorreu na entrada da casa de Cristina em Buenos Aires, onde centenas de manifestantes se reuniram nos últimos dias para apoiar a ex-presidente, que está em meio a um julgamento por acusação de corrupção.

O ministro da Economia do país, Sergio Massa, chamou o incidente de "tentativa de assassinato".

"Quando o ódio e a violência prevalecem sobre o debate, as sociedades são destruídas e situações como estas surgem: tentativa de assassinato", disse o ministro em um tuíte.

Um porta-voz da polícia disse à Reuters que um homem armado havia sido preso perto da residência e que uma arma foi encontrada a poucos metros do local do crime. Ele disse que o homem poderia ser de origem brasileira.

As imagens da televisão mostraram um homem apontando uma arma para Cristina no meio da multidão, mas sem disparar nenhum tiro. A mídia local disse que o homem aparentava ser de meia-idade.

(Reportagem de Nicolas Misculin)