Vice-presidente da OAB de Salto (SP) endossa discurso de ódio contra Marielle

Imagem: Reprodução

Flávio Garcia perguntou se o lanche “X-Marielle” deveria vir “com muitas azeitonas”, gíria usada para se referir a “tiros”

Em uma postagem feita em grupo do Facebook relacionada à Kau Hamburgueria, o policial militar Jonatas Guedes sugeriu a criação de um hambúrguer denominado o “X-Marielle”, em referência à vereadora Marielle Franco executada em março deste ano. Em resposta ao comentário, o vice-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil de Salto (SP) Flavio Roberto Garcia perguntou se o lanche deveria vir “com muitas azeitonas”, gíria usada para se referir a “tiros”.

Em um outro comentário, uma mulher sugere que caso o PM fosse processado por suas declarações, o advogado poderia fazer sua defesa.

A hamburgueria ganhou repercussão negativa após criar o lanche “Maria da Penha”, cujo um dos ingredientes é “repOLHO roxo”, de acordo com o cardápio, em um explícito discurso de ódio e de apologia à violência contra as mulheres.

Procurada pela reportagem do G1, a OAB de Salto afirmou que encaminhará o caso para a Comissão de Ética. Quando procurada pelo GLOBO, a instituição afirmou que não se manifestaria por “interações sociais” realizadas nas redes sociais.

Leia mais:
Por que os direitos das mulheres devem ser pauta central na agenda de discussões políticas no Brasil?
O mundo é das mulheres, mas será que elas têm o devido espaço?
A política da violência e a violência política: mulheres nas eleições

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos