Vice-presidente dos EUA diz que não impedirá certificação da vitória de Biden

·1 minuto de leitura
O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, disse que não intervirá para impedir a certificação da vitória eleitoral do democrata Joe Biden

O vice-presidente dos Estados Unidos no governo de Donald Trump, Mike Pence, disse nesta quarta-feira (6) que não impedirá a certificação pelo Congresso da vitória do democrata Joe Biden nas eleições de novembro, desafiando os desejos de Trump, o que gerou uma reação dura do presidente.

"A Constituição me impede de reivindicar autoridade para determinar quais votos eleitorais devem ser contados e quais não devem", afirmou Pence em nota divulgada enquanto a sessão conjunta do Congresso começava a certificar os votos do Colégio Eleitoral.

A declaração foi divulgada depois que Trump pediu a Pence em um comício em Washington para se recusar a certificar os votos.

Donald Trump criticou o vice logo após sua manifestação.

"Mike Pence não teve a coragem de fazer o que deveria ter sido feito para proteger nosso país e nossa Constituição", tuitou Trump. "Os EUA exigem a verdade!".

Pence, que preside a sessão no Senado, disse que compartilha "a preocupação de milhões de americanos sobre a integridade da eleição", no entanto, não acredita ter "a autoridade unilateral para decidir quais votos eleitorais devem ser contados".

"Quatro anos atrás, cercado pela minha família, jurei respeitar e defender a Constituição", declarou ele. "Hoje, quero garantir ao povo americano que cumprirei o juramento que fiz a eles", acrescentou.

Em seu comício, Trump voltou a repetir suas alegações infundadas de fraude eleitoral, dizendo que ficaria "muito desapontado" se Pence não se opusesse à contagem de votos do Colégio Eleitoral.

cl/ec/rs/lda/gm/rs/ic/mvv