Victor Ribas, Silvana Lima, Phil Rajzman: ausências na lista dos 10 maiores surfistas

1 / 2

40671338_12101997 - FREDERICO ROZÁRIO - ES - CAMPEONATO MUNDIAL DE SURF - KAISER SUMMER SURF - V.jpg

Victor Ribas foi número 3 do mundo em 1999

Toda lista gera polêmica. Não seria diferente em uma relação com apenas dez nomes de uma história de décadas do surfe brasileiro. Trinta jornalistas especializado foram convidados por O GLOBO/Extra para elegerem os dez maiores surfistas do país. Não foram poucos os que pediram para incluir mais nomes em suas relações, mas só valiam dez.

Não contavam apenas resultados, mas também a relevância dentro do esporte. Bicampeão mundial, Gabriel Medina venceu a eleição com ampla vantagem, seguido por Fabio Gouveia e Adriano de Souza.

Um total de 39 surfistas - incluindo homens, mulheres, longboarders, nomes históricos e de ondas grandes - foram citados pelos votantes. Entre as ausências mais sentidas no top-10 nos comentários das redes sociais estão os nomes de Victor Ribas, Silvana Lima, Neco Padaratz e Phil Rajzman.

Victor Ribas, ou simplesmente Vitinho, ficou na 11ª posição, muito próximo de entrar na lista final. Antes da chegada da 'brazilian storm', era do cabofriense a melhor classificação de um brasileiro no circuito mundial - o terceiro lugar em 1999.

Maior expoente do surfe feminino, Silvana Lima também foi muito bem votada. A cearense de Paracuru foi vice-campeã mundial em duas oportunidades, terminando ainda em terceiro e quarto no ranking em outras temporadas. Mestre no pranchão, o carioca Phil Rajzman tem dois títulos mundiais de longboard no currículo, em 2007 e 2016.

Um dos pioneiros do surfe moderno e considerado um surfista à frente do seu tempo, o carioca Dadá Figueiredo ficou próximo a Vitinho na votação, com o também carioca Ricardo Bocão, nome icônico dos anos 70 e 80, em sua cola. Primeiro negro no circuito mundial de surfe, o baiano Jojó de Olivença também apareceu com expressiva votação.